Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

2008 foi um ano bom para turismo brasileiro na Suíça

Parceria Corcovado-Jungfrau leva brasileiros ao "Topo da Europa", nos Alpes suíços.

(Jungfraubahnen)

No ano passado, o setor turístico suíço teve a melhor temporada dos últimos 18 anos. Também o número de turistas brasileiros na Suíça teve um forte aumento.

A agência oficial de turismo de Zurique (Zürich Tourism) acredita que o mercado brasileiro será o único não atingido pela crise econômica em 2009.

A hotelaria suíça registrou 37,3 milhões de pernoites em 2008. Esse é o segundo melhor resultado da história, depois do recorde de 1990.

Após um aumento de 5,5% do número de visitantes nos primeiros meses do ano, seguiu-se a Eurocopa, quando o número de torcedores estrangeiros não conseguiu compensar a ausência de turistas cativos.

De setembro a novembro, os primeiros sinais de crise se fizeram notar, mas em dezembro, em função do inverno rico em neve, o número de pernoites foi superior ao do mesmo mês no ano anterior.

Segundo a Associação da Hotelaria Suíça, depois de cinco anos de crescimento contínuo, os hotéis suíços estão melhor preparados para enfrentar turbulências econômicas do que em recessões passadas.

Turismo brasileiro na Suíça



"O ano de 2008 foi definitivamente um ano de sucesso para o Switzerland Tourism Brasil", informa a agência oficial do governo suíço, que atua no país a partir do Consulado Geral da Suíça em São Paulo.

Segundo a gerente de mercado da agência, Gisele Sarbach, apesar da crise financeira, o ano se encerrou com um balanço positivo de 6,2% no fluxo de turistas brasileiros na Suíça, e a hotelaria suíça contabilizou um aumento de 11, 4% no número de pernoites gerados por turistas brasileiros em relação ao mesmo período em 2007.

Além disso, acrescenta Sarbach, a temporada de verão (compreendida entre maio e outubro) registrou um acréscimo considerável de turistas brasileiros, tendo eles contribuído com um aumento de 5,8% no fluxo de turistas e 10,4% no número de pernoites em relação ao mesmo período de 2007.

Traduzindo em números: em 2008, um total de 59.662 brasileiros fizeram turismo na Suíça (34.595 de maio a outubro), o que resultou em 159.058 pernoites – 87.038 de maio a outubro. (veja o gráfico na coluna à direita).

"Percebe-se que, desde o ano de 2004, o fluxo de turistas brasileiros à Suíça aumentou em média 26%, e os pernoites de brasileiros no país também refletem variações positivas entre 2004 e 2007, quando houve um aumento de 15% em relação ao período de 2001 a 2003″, afirma Sarbach.

Zurique e Genebra em alta



Essa tendência positiva teve continuidade em 2008, principalmente em Zurique e Genebra. Zurique recebeu 14.313 turistas brasileiros – um aumento de 17,6% em relação ao ano anterior. O número de pernoites aumentou 27,2%, passando de 26. 296 para 33.437. Enquanto isso, o total de turistas estrangeiros na cidade – 1,06 milhão em 2008 – aumentou apenas 1,8%.

Genebra registrou 32.740 pernoites de turistas brasileiros no ano passado, o que representa um aumento de 11,9% em relação a 2007, o terceiro maior aumento em termos de proveniência dos turistas.

"Esse aumento é característico de uma economia que evolui bem. Graças ao forte desenvolvimento econômico do Brasil nos últimos três anos, a classe média alta brasileira tem um poder de compra mais elevado e deseja viajar a países distantes, além das destinações próximas na América do Sul ou os Estados Unidos", diz Joëlle Snella, do departamento de comunicação corporativa da Genève Tourisme & Bureau.

Classe média alta viaja mais



Uma das principais portas de entrada na Suíça, Genebra mantém contatos com a Switzerland Tourism em São Paulo. Este ano, pela primeira vez, a Genève Tourisme & Bureau pretende participar em outubro da feira da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), que é uma referência do setor na América Latina.

"É difícil fazer previsões no contexto da crise econômica global. Pode ser que tenhamos menos pernoites de brasileiros em 2009, mas essa redução será menor do que em outros mercados", diz Snella.

Segundo Maurus Lauber, diretor de marketing e negócios da Zürich Tourismus, a maior cidade suíça, há anos tem presença ativa no Brasil, junto com a Switzerland Tourism. "E Zurique sempre foi um dos destinos prediletos dos brasileiros na Suíça."

Lauber explicou que os brasileiros que visitam Zurique são "turistas de alto nível, com poder aquisitivo para fazer compras na cidade". Por isso, ele está otimista em relação a 2009. "Para nós, o mercado brasileiro é talvez o único que não será afetado pela crise", disse Lauber à swissinfo.

Em Berna, houve um pequeno aumento de janeiro a maio e um recuo no segundo semestre. Em 2007, entre os 665.104 pernoites de turistas na capital suíça 4.125 foram de brasileiros; no ano passado, foram 4.036 do tortal de 666 mil.

Segundo Daniela Zehr, diretora de relações públicas da Bern Tourismus, devido ao pequeno volume, o Brasil não é um dos mercados cativos da cidade de Berna. Por enquanto, o marketing se restringe ao atendimento a jornalistas e agências de viagem. Zehr espera que mais brasileiros descubram "a nossa bela cidade".

"Sabemos que os visitantes são muito ligados à natureza. Ao mesmo tempo, eles apreciam a autenticidade da Suíça. Nesse sentido, a cidade de Berna, que tem o selo da Unesco como patrimônio da humanidade, tem um trunfo forte na mão", disse à swissinfo.

A companhia ferroviária Jungfraubahnen fechou uma parceria com o Trem do Corcovado, que reduz à metade para os brasileiros o preço uma passagem para visitar o "Topo da Europa", um dos pontos turísticos mais visitados nos Alpes suíços (leia mais sobre a parceria na coluna à direita).

swissinfo, Geraldo Hoffmann

Corcovado-Jungfrau

Desde setembro de 2006, a concessionária Trem do Corcovado, responsável pela estrada de ferro que leva até à estátua do Cristo Redentor, mantém um convênio com a Jungfraubahnen, companhia que explora vários ramais na região do Jungfrau, no cantão de Berna.

Os viajantes do Corcovado (710 m acima do nível do mar) que forem à Suíça recebem desconto de 50% na aquisição de passagem para o pico Jungfrau, com 3.454 m de altitude, também conhecido como "Topo da Europa" (o preço normal do bilhete de ida e volta oscila entre 98 e 121 euros). O mesmo vale para os passageiros suíços que visitarem o Rio de Janeiro. Basta apresentar o ticket, que vale até um ano depois da visita.

Na Suíça, cartazes fazem publicidade da "estrada de ferro irmã". A Jungfraubahnen informou à swissinfo que acaba de contratar uma agência de publicidade no Brasil para divulgar mais a parceira.

No ano passado, 628 mil turistas visitaram a região do Jungfrau. Em 2007, um ano recorde, foram 700 mil.

Aqui termina o infobox

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.