Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

40 anos do movimento "Mitenand" Os pioneiros de uma política migratória mais aberta

Manifestantes com cartazes pedindo igualdade de, direitos aos estrangeiros

Os manifestantes protestaram em Berna em 1978 contra o projeto do governo para uma nova lei de estrangeiros. O ponto mais contencioso era o status dos trabalhadores sazonais, ou 'saisonniers'. 

(Keystone)

Quarenta anos atrás, em 28 de outubro de 1978, 3.000 pessoas reuniram-se na Bundesplatz em Berna: exigiam uma política de estrangeiros mais humana, na qual "o estrangeiro é uma pessoa com os mesmos direitos que os suíços". A manifestação foi organizada em escala nacional pelo movimento "Mitenand" (todos juntos, em suíço alemão). Mas o que foi esse movimento?

No início, eles eram considerados como um 'quebra-galho' econômico conjuntural. Nos anos 1950 e 1960, eles foram contratados na Suíça às centenas de milhares como trabalhadores estrangeiros. Eles foram autorizados a permanecer por um tempo limitado no país - seu status foi definido como 'saisonniers', isto é, 'sazonais'. Em momentos de crise econômica - essa era a idéia - eles poderiam ser simplesmente enviados de volta para seus países de origem.

As pessoas que obtinham o direito de ficar deveriam se assimilar. Mas os recém-chegados despertaram temores, e o medo da "hiper-estrangeirização" (em alemão: Überfremdung) foi alimentado politicamente: em 1970, os eleitores foram às urnas para votar a chamada iniciativa Schwarzenbach. O político James Schwarzenbach exigia um limite de 10% na proporção de todos os estrangeiros nos cantões. A iniciativa foi rejeitada por 54% dos cidadãos. Mas quase a metade dos eleitores apoiaram a iniciativa, mesmo considerando o fato de que as mulheres ainda não votavam (só foram conquistar esse direito em 1972).

Fonte: O historiador Kijan Espahangizi recordou o movimento em um post no seu blog. Ele é co-fundador do instituto Nova Suíça INES, um think tank, que está interessado em abordar novas perspectivas sobre a imigração na Suíça.

Aqui termina o infobox

Direitos iguais para os estrangeiros

Entretanto, a iniciativa de Schwarzenbach também mobilizou muitos outros a se posicionar contra a discriminação cotidiana e oficial. A principal exigência era de substituir o conceito, e a obrigatoriedade, de "assimilação" pelo de "integração". O movimento reivindicava para os estrangeiros os mesmos direitos que os cidadãos suíços e exigia que os mercados de trabalho e de habitação, bem como a educação, fossem abertos a eles.

Em 1974, foi lançado o movimento "Mitenand para uma política de estrangeiros mais humana" - que logo foi apoiado pela igreja, forças liberais e de esquerda, assim como por organizações estrangeiras. Juntos, eles lançaram uma iniciativa popular que exigia direitos iguais para estrangeiros assentados: eles deveriam ter o direito de morar aqui com suas famílias e não ser ameaçados de expulsão. Os iniciadores da campanha também exigiram a abolição do status sazonal. A frase central era: "A legislação leva em conta os interesses tanto dos suíços quanto dos estrangeiros em igual medida".

Receitas dos "países de origem dos nossos trabalhadores alienígenas"

Já na década de 1960, "locais de encontro entre suíços e estrangeiros" foram fundados em várias cidades. As pessoas se encontravam para jantar, tocar música e celebrar juntos - do movimento Mittenand saiu até um livro de receitas com pratos italianos, espanhóis, portugueses, gregos, iugoslavos e turcos - dos "países de onde vêm nossos trabalhadores e trabalhadoras estrangeiros".

Apresentação da Iniciativa Mitenand para a imprensa

Os organizadores da iniciativa "Mitenand" anunciam para a imprensa em fevereiro de 1981 sua proposta de lei de estrangeiros mais justa.

(Keystone)

Mas não se tratava apenas de desfrutar do que ainda era chamado de comida exótica, mas do objetivo de criar uma Suíça mais justa para todos. Em 1977, assinaturas suficientes foram coletadas para apresentar a iniciativa, e em 1978 o movimento chegou à Bundesplatz. O Conselho Federal e o Parlamento recomendaram a rejeição da iniciativa, e esticaram ao máximo a definição da data de votação. Por fim, a iniciativa foi violentamente rejeitada em 1981, com 83,8% dos votos contra.

Jogado ao esquecimento

Os poucos partidários do movimento se dispersaram depois do fracasso nas urnas, provavelmente a principal razão pelo seu esquecimento. Mas o movimento Mitenand continuou a funcionar, organizando por exemplo acampamentos de verão para filhos de suíços e estrangeiros, e engajando-se ativamente na questão de asilo, que se tornou um dos temas mais proeminentes da política a partir dos anos 80. O movimento só se dissolveu definitivamente em 1990.


swissinfo.ch/ets

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.