Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

abastecimento econômico nacional Governo garante que há comida suficiente para meses

As autoridades suíças dizem que há estoques de alimentos disponíveis para os consumidores por mais de quatro meses para lidar com a atual epidemia do coronavírus. Mas foi introduzido o racionamento para certos medicamentos analgésicos e antifebris.

shopping trolley

Não há necessidade de armazenar e fazer compras em pânico, repetiu o governo suíço

(© Keystone/Goran Basic)

"Não há motivo para pânico por causa dos alimentos", disse o responsável do governo para o abastecimento econômico nacional, Werner MeierLink externo, em entrevista publicada na quarta-feira (18) em vários jornais suíços.

Neuer Inhalt

newsletter subscription

Assine a nossa Newsletter e acompanhe as atualidades direto da Suíça

Segundo Meier, o setor empresarial suíço, apoiado pelo governo, garante que os alimentos essenciais sejam estocados em quantidade suficiente para os momentos de crise. Supermercados e pequenas lojas de varejo tiveram acesso a muitos suprimentos para estocar suas prateleiras, disse Meier. 

"Não temos relatos de escassez ou problemas de abastecimento por parte dos varejistas", disse Meier. "A Suíça fechou suas fronteiras para pessoas, mas não para mercadorias".

Ele também disse que não há planos no momento para considerar a imposição de regras ao setor para a produção de bens essenciais.

Mais tarde na quarta-feira, no entanto, o governo anunciou que começaria a racionar alguns analgésicos comuns e medicamentos contra a febre para evitar o pânico na compra.

O governo disse que a restrição, que começa imediatamente e vai durar os próximos seis meses, não foi introduzida devido à escassez de medicamentos.

Sob a restrição, cada pessoa poderá comprar apenas um pacote por dia de certos medicamentos, incluindo paracetamol e ibuprofeno.



swissinfo.ch/fh

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.