AFP

(Arquivo) Angelina Jolie e Brad Pitt, em Londres, no dia 13 de junho de 2014

(afp_tickers)

A anunciada separação de Angelina Jolie e Brad Pitt, o casal dos sonhos de todo o mundo, confirma que 2016 será lembrado como um ano desastroso para os amores emblemáticos de Hollywood.

Em 2016, foi oficializada a "separação amplamente anunciada" de Gwyneth Paltrow e do cantor Chris Martin, e terminou o rápido casamento de Johnny Depp e Amber Heard, por quem deixou a ex-mulher Vanessa Paradis.

Drew Barrymore, Lisa Marie Presley, Dennis Quaid, entre outros, também anunciaram que estavam se separando de seus cônjuges, o que levou alguns tabloides a citar 2016 como o ano dos divórcios em Hollywood.

Segundo o PolitiFact, em 2012, a probabilidade de um casamento terminar em divórcio nos Estados Unidos era entre 40% e 50%.

A advogada Kelly Frawley, do escritório Kasowitz Benson Torres and Friedman, considera que, apesar de não existirem razões para crer que ricos e famosos se separam mais do que as outras pessoas, as pressões a que os casais estão expostos aumentam em Hollywood.

"As causas do fim de um casamento são bastante comuns: problemas de dinheiro, conflitos pela educação dos filhos, infidelidade", disse a advogada em entrevista à AFP.

"Essas causas ganham uma escala maior, quando se trata de um casal de celebridades, porque têm um maior acesso a tudo aquilo que facilita uma separação", explicou.

"Podem gastar dinheiro com facilidade, sair com facilidade, ter aventuras extraconjugais com facilidade", acrescentou.

Apesar disso, alguns casais resistem às armadilhas da fama.

Denzel Washington e sua mulher, Pauletta, mantêm o controle de seu casamento desde 1983, enquanto os comediantes Billy Crystal, Christopher Walken e as eleitas de seus respectivos corações estão próximos das bodas de ouro.

Will Smith e Jada Pinkett continuam juntos depois de seu encontro na filmagem de "O príncipe de Bel Air", onde ela fez um teste para o papel da namorada de seu famoso marido. Não conseguiu o papel, mas conquistou Smith, com quem se casou em 1997. Depois, dividiram o sucesso de "Ali", em 2001.Mas o divórcio é uma tendência forte nas elegantes ruas e bairros de Beverly Hills, Hollywood e Bel Air.

Entre as vítimas mais famosas estão Ben Affleck e Jennifer Garner, que em junho de 2015 anunciaram que jogariam a toalha, um ano depois de completar 10 anos de casados.

"As celebridades vivem sob uma lupa. Tudo o que fazem é examinado e o menor inconveniente é descrito na mídia como uma ruptura", e "isso pode desgastar uma relação", diz Judi Bloom, terapeuta de casais de Los Angeles.

- A maçã da discórdia -

Um dos grandes problemas dos casais de Hollywood, disse Bloom, é que passam muito tempo separados devido a seus respectivos projetos profissionais, algo que pode "destruir o tecido de uma relação".

Apesar disso, compartilhar a vida na cidade e nas telas não é sempre a solução para manter uma relação.

O diretor Tim Burton e Helena Bonham Carter, sua atriz favorita por muito tempo e com quem colaborou em sete filmes, colocaram um ponto final em sua relação de 13 anos. O número do azar também marcou o casamento de Woody Allen com Mia Farrow, que participou de 13 de seus filmes.

Rob Shuter, ex-porta-voz de artistas como Jennifer López e Jessica Simpson e que atualmente dirige o site NaughtyGossip.com, explicou em entrevista à AFP que as estrelas e seus assessores cuidam dos mínimos detalhes de seus divórcios.

"O anúncio de Brad e Angie aconteceu um dia depois do fechamento dos semanários, o que dá uma semana para que eles respirem um pouco", antes das novas edições de revistas de maior público como People e US Weekly, acrescentou.

afp_tickers

 AFP