AFP

(Arquivo) Policiais durante protesto contra escassez de alimentos, em Petare, Caracas, no dia 9 de junho de 2016

(afp_tickers)

Um menor de 17 anos morreu na localidade venezuelana de Lagunilla, no estado de Mérida (oeste), durante protestos pedindo alimentos que degeneraram em distúrbios e saques, informaram as autoridades.

O adolescente morreu na manhã desta quarta-feira em um hospital da cidade, onde deu entrada após ficar ferido durante os distúrbios registrados na noite anterior, segundo um boletim da procuradoria.

Embora o Ministério Público não tenha detalhado as causas da morte, a imprensa local destacou que a vítima levou um tiro na cabeça durante enfrentamentos de manifestantes com policiais e militares, nas quais não participou.

Onze pessoas foram detidas durante os distúrbios, provocados durante o protesto por comida, motivada pela grave escassez no país, disse à imprensa o chefe da polícia local, Álvaro Sánchez.

Entre os detidos estão vários menores de idade, com os quais foram encontrados provisões e equipamentos eletrônicos, entre outros elementos furtados de estabelecimentos comerciais, segundo o boletim policial, citado pelo jornal Últimas Noticias.

A Venezuela vive uma onda de protestos exigindo o abastecimento de produtos de primeira necessidade, que nas últimas semanas degeneraram em saques.

Estes protestos e saques deixaram ao menos quatro mortos, inclusive o menor de Mérida. Um militar e um chefe da polícia são processados por dois destes óbitos.

afp_tickers

 AFP