AFP

(Arquivo) O presidente da Wada, Craig Reedie

(afp_tickers)

A base de dados da Agência Mundial Antidoping (Wada) está sendo atacada por hackers há semanas, denunciou nesta quarta-feira o presidente do órgão, Craig Reedie, em entrevista à rádio britânica BBC.

Suas declarações foram feitas um dia após a Wada revelar que o grupo de hackers russo APT28, também conhecido como Fancy Bears, se infiltrou na base de dados da agência.

O grupo de hackers divulgou informações relacionadas a vários atletas americanos, como a ginasta Simone Biles, as irmãs tenistas Serena e Venus Williams e a jogadora de basquete Elena Delle Donne.

As informações pretendiam sugerir o uso de substâncias proibidas, mas se referiram a medicamentos autorizados em caso de tratamento médico pontual, disse Reedie.

Reedie, que também é membro do Comitê Olímpico Internacional, disse ter poucas dúvidas de que o ataque tenha sido proveniente da Rússia, apesar da negativa do governo de Moscou.

"Temos informações muito confiáveis de que (os hackers) têm estreitas conexões na Rússia", afirmou Reedie.

"Estão atacando nosso sistema há semanas", afirmou.

"É um ataque ao sistema antidoping, e é de pouca ajuda neste momento", acrescentou Reedie, referindo-se às tentativas de normalizar a situação da Rússia após o relatório independente, encomendado pela Wada, que informou sobre um sistema antidoping em grande escala organizado pelas autoridades russas.

afp_tickers

 AFP