AFP

Posto de controle da polícia atingido por um carro-bomba, em Diyarbakir, no dia 15 de agosto de 2016

(afp_tickers)

Cinco policiais turcos e dois civis, entre eles uma criança, morreram na segunda-feira em um atentado a bomba perto de Diyarbakir (sudeste), atribuído a rebeldes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), anunciou o governo.

O ataque era dirigido a um posto de controle da polícia na autopista entre Diyarbakir e Batman, e deixou sete mortos, declarou à imprensa em Ancara o vice-premiê Numan Kurtulmus.

O gabinete do governador local tinha informado anteriormente, em um comunicado, que 25 pessoas tinham ficado feridas, entre elas cinco policiais.

Um fotógrafo da AFP no terreno viu o edifício da polícia reduzido a uma pilha de escombros e os socorristas buscar entre os destroços para extrair os cadáveres. Pedestres examinavam a imensa cratera deixada no solo.

Este atentado ocorre cinco dias depois de dois ataques simultâneos a bomba no sudeste da Turquia atribuídos ao PKK, que deixaram pelo menos oito mortos, a maioria civis.

O PKK continuou seus ataques desde a tentativa frustrada de golpe de Estado de 15 de julho contra o presidente Recep Tayyip Erdogan e o governo prometeu que não recuaria em sua luta contra os rebeldes.

Nos últimos meses, o governo realizou várias operações militares contra o PKK para expulsar os combatentes curdos das zonas urbanas.

O conflito, retomado no verão boreal passado após dois anos de trégua, deixou mais de 40.000 mortos desde seu início, em 1984.

afp_tickers

 AFP