AFP

(Arquivo) Um militante do Hamas é visto durante manifestação, em Gaza, no dia 28 de abril de 2016

(afp_tickers)

Um funcionário de alto escalão e ex-ministro do Interior do Hamas denunciou, neste sábado, "a parcialidade total" de Washington a respeito de Israel, após ter sido classificado pelos Estados Unidos como um "terrorista internacional".

Os Estados Unidos classificaram, na sexta-feira, Fathi Hammad, membro do órgão político do movimento islamita palestino no poder na Faixa de Gaza, como "terrorista internacional", segundo a diplomacia americana.

O Hamas, que governa no enclave palestino bloqueado por Israel, é considerado por Washington como uma "organização terrorista internacional".

"Tais decisões demonstram a parcialidade total (dos Estados Unidos) a favor da máquina de matar e do terrorismo sionista", afirmou Fathi Hammad em uma declaração à imprensa.

Com esta nova classificação, os cidadãos e as empresas dos Estados Unidos não poderão fazer negócios com o responsável do Hamas.

Fathi Hammad se serviu de seu cargo de ministro do Interior para "coordenar células terroristas", segundo o Departamento de Estado americano.

afp_tickers

 AFP