AFP

(Arquivo) Autoridades turcas bloquearam nesta quarta-feira o acesso ao site WikiLeaks, após a publicação de quase 300.000 mensagens eletrônicas de responsáveis do partido político no poder na Turquia, o Partido da Justiça e do Desenvolvimento

(afp_tickers)

Autoridades turcas bloquearam nesta quarta-feira o acesso ao site WikiLeaks, após a publicação de quase 300.000 mensagens eletrônicas de responsáveis do partido político no poder na Turquia, o Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, islamita-conservador).

O WikiLeaks disse que estas mensagens eletrônicas são provenientes do site do Partido, akparti.org.tr, e versavam, em particular, sobre assuntos internacionais, e não "sobre as questões mais sensíveis da política interna".

A organização acrescentou que estes e-mails foram trocados entre 2010 e 6 de julho deste ano, portanto foram obtidos antes da tentativa de golpe de Estado de 15 de julho.

"O WikiLeals adiantou seu calendário de publicações em resposta às punições realizadas pelo governo" desde então, disse.

A fonte destas mensagens eletrônicas "não tem nenhum vínculo com os elementos (que estiveram por trás) da tentativa de golpe de Estado, ou com um partido (político) rival ou outro Estado", afirmou.

Um responsável turco confirmou que o site WikiLeaks havia sido bloqueado por motivos "de violação da vida privada e a publicação de informação obtida ilegalmente".

afp_tickers

 AFP