AFP

(FILES) This file photo taken on December 07, 2006 shows (Arquivo) Foto tirada em 7 de dezembro de 2006 mostra o baixista do AC/DC, Cliff Williams, em Las Vegas, Nevada

(afp_tickers)

O baixista do AC/DC, Cliff Williams, anunciou que vai deixar a banda, tornando ainda mais incerto o futuro do lendário grupo de hard-rock já abalado pela saída de vários de seus integrantes.

"Esta foi minha vida durante os últimos 40 anos, mas, depois dessa turnê, não farei mais shows, nem gravações", declarou o músico à revista "Gulfshore Life".

Criada em 1973 e autora do sucesso mundial "Highway to Hell", a banda encerra no final de setembro, nos Estados Unidos, uma turnê mundial de um ano e meio marcada pela saída forçada de seu cantor Brian Johnson. Ele foi obrigado a deixar os palcos para não ficar surdo.

O vocalista do Guns N'Roses, Axl Rose, assumiu seu posto em março para continuar a turnê.

Em 2014, Malcolm Young, guitarrista rítmico e irmão do membro fundador, Angus Young, teve de deixar o grupo antes do lançamento do último álbum, "Rock or Bust", por problemas de demência.

O baterista Phil Rudd foi expulso depois de sua detenção por suspeita de envolvimento em um assassinato na Nova Zelândia, onde vive.

"A perda de Malcolm, o rumor com Phil e agora com Brian, já não é a mesma coisa. Sinto profundamente que isso é o que tenho de fazer", disse Williams.

Sua saída pode comprometer o futuro do grupo, que ainda conta com uma sólida base de fãs, mas não anunciou novos projetos.

Em 1980, o grupo teve de seguir adiante, após a morte de seu cantor na época, Bon Scott. Ele morreu afogado por seu próprio vômito, depois de uma noite de bebedeira.

Seu álbum "Back in Black" continua sendo um dos mais vendidos da história.

afp_tickers

 AFP