AFP

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, durante comício, em Scranton, Pensilvânia, no dia 15 de agosto de 2016

(afp_tickers)

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, entrou firme na campanha presidencial nesta segunda-feira manifestando seu apoio à Hillary Clinton e desqualificando o republicano Donald Trump, um risco para as tropas americanas.

Em comício na cidade de Scranton, Pensilvânia, onde cresceu, Biden disse que Clinton é a única opção para os eleitores porque sabe o que é brigar pelos americanos.

Biden, que fala sinceramente e tem a habilidade de entreter a classe operária, é considerado um trunfo para Clinton, particularmente na faixa dos eleitores brancos, que se inclinam para Trump.

"Nenhuma pessoa nomeada por um partido na história dos Estados Unidos soube menos ou esteve menos preparada para dirigir a segurança da nossa nação do que Donald Trump", disse Biden, que foi senador por 36 anos.

"Este homem está totalmente, profundamente, desqualificado para ser presidente dos Estados Unidos".

O candidato republicano tem feito uma intensa campanha na Pensilvânia, um estado que votou nos democratas nas seis últimas eleições presidenciais.

Mas uma série de erros tem deixado Clinton acima de Trump nas pesquisas na Pensilvânia, onde a ex-secretária de Estado está com 49,2% das intensões de voto, contra 40% para seu adversário, de acordo com o instituto RealClearPolitics.

A acusação de Trump de que o presidente Barack Obama e Clinton criaram o grupo extremista Estado Islâmico coloca em risco a vida das tropas dos Estados Unidos, declarou Biden.

"Se meu filho ainda estivesse no Iraque, eu diria a todos os que estão aqui que o risco para sua vida aumentou", declarou Biden.

afp_tickers

 AFP