AFP

A secretária-executiva da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), Alicia Bárcena, em Santiago, no dia 26 de janeiro de 2015

(afp_tickers)

A produtividade "é o calcanhar de Aquiles" das economias da América Latina e do Caribe, especialmente no atual cenário econômico global que mostra um "forte inclinação recessiva" - alertou a Cepal nesta quinta-feira (13), pedindo uma mudança do modelo de desenvolvimento na região.

Para este ano, a Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal) prevê uma contração de 0,9% do PIB da região, embora para 2017 preveja um crescimento de 1,5%.

"Nossa região precisa mudar seu modelo de desenvolvimento através de um grande impulso ambiental", afirmou a secretária-executiva da Cepal, Alicia Bárcena, na inauguração da primeira reunião de alto nível do Programa Regional da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para América Latina e Caribe, que se realiza na sede da Cepal em Santiago.

Bárcena pediu aos países que deem "um salto em matéria de políticas industriais e tecnológicas, com foco no investimento e na inovação" para cumprir as metas de desenvolvimento sustentável acordadas no ano passado entre os países da região para pôr fim à pobreza, lutar contra a desigualdade e a injustiça.

A secretária da Cepal também alertou sobre a evasão fiscal como outro dos pontos fracos de nossas economias, segundo um comunicado da instituição.

O Programa Regional da OCDE foi lançado em junho passado, em Paris, para apoiar a América Latina em uma série de reformas e aumentar a produtividade, a inclusão social e o fortalecimento da governança.

afp_tickers

 AFP