AFP

Famílias iraquianas na cidade de Mossul, Iraque, no dia 1 de setembro de 2016

(afp_tickers)

O presidente americano, Barack Obama, disse nesta segunda-feira (19) que as tropas iraquianas apoiadas pelos Estados Unidos podem estar em posição de libertar com "bastante rapidez" a cidade de Mossul das mãos do grupo Estado Islâmico (EI).

Ao falar antes de seu encontro com o primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, o presidente americano advertiu, porém, que "isso será duro, isso será desafiador".

Segunda metrópole do Iraque e uma cidade cosmopolita, com muita mistura religiosa, Mossul foi tomada pelo EI em junho de 2014, após uma ofensiva relâmpago pelo norte e oeste do país.

A derrota refletiu as falhas no Exército do Iraque, mas, desde então, a coalizão liderada pelos Estados Unidos assessora militarmente o país e envia aviões de ataque para apoiar o governo.

Os Estados Unidos contam agora com 4.460 soldados no terreno, respaldados por outras centenas procedentes de países aliados.

"Temos confiança em que estaremos em posição de seguir adiante com bastante rapidez", disse Obama, que prometeu combater "diretamente o coração da operação do EI em Mossul".

"Essa batalha será um desafio, Mossul é uma cidade grande", acrescentou.

Obama declarou ainda que a operação deve expulsar o EI, além de assegurar à população que a "ideologia extremista nascida do desespero não volte".

afp_tickers

 AFP