AFP

O presidente cubano, Raúl Castro, em Havana, no dia 16 de abril de 2016

(afp_tickers)

O governo de Raúl Castro expressou nesta quinta-feira "toda a solidariedade de Cuba" a Dilma Rousseff pelo "golpe de Estado jurídico-parlamentar" que a afastou temporariamente da Presidência por até 180 dias para ser submetida a um julgamento de impeachment.

"Dilma, Lula, o Partido dos Trabalhadores e o povo do Brasil contam e contarão sempre com toda a solidariedade de Cuba", diz a declaração entregue à imprensa.

Para o governo cubano, o processo de impeachment contra Dilma "se trata, na realidade, de um artifício armado por setores da oligarquia neste país, apoiados pela grande imprensa reacionária e pelo imperialismo, com o propósito de reverter o projeto político do Partido dos Trabalhadores".

"O que ocorre no Brasil é parte da contraofensiva reacionária do imperialismo e da oligarquia contra os governos revolucionários e progressistas da América Latina e do Caribe, que ameaça a paz e a estabilidade das nações", acrescentou.

afp_tickers

 AFP