AFP

Um charuto de 90m produzido pelo cubano José Castelar Cairo, "Cueto", é visto em Havana, no dia 12 de agosto de 2016

(afp_tickers)

Na hora de elaborar charutos, o cubano José Castelar (Cueto) não tem limites: em busca de seu sexto recorde no livro Guinness, ele terminou nesta sexta-feira um de 90 metros, dedicado ao aniversário de 90 anos de Fidel Castro, celebrado no sábado.

"O charuto tem 90 metros, em comemoração aos 90 anos de nosso comandante", declarou à AFP Cueto em um dos salões da fortaleza colonial de San Carlos de La Cabaña, sobre a Baía de Havana.

Cueto explicou não conhecer pessoalmente Fidel Castro, que deixou o poder há uma década. Também não sabe se o líder da revolução cubana, que deixou de fumar há 30 anos, sabe da sua iniciativa.

"Acho que não sabe. Há muitos anos que ele não fuma, mas nós estamos lhe presenteamos com o esforço que temos feito para comemorar seu aniversário", disse Cueto, que elabora charutos desde os 14 anos de idade em sua cidade natal de Villa Clara, no centro da ilha.

Desde o dia 2 de agosto, apoiado por um grupo de colaboradores, Cueto trabalhou cerca de 12 horas diárias para terminar o charuto, com o qual também pretende alcançar seu sexto recorde no Guinness.

A encarregada de negócios da embaixada britânica em Havana, Lesley Sunderson, que servirá de testemunha para a homologação do novo recorde cubano participou da cerimônia de apresentação do puro cubano.

Os cinco prêmios Guinness anteriores, apresentados nesta sexta-feira no salão da histórica fortaleza, foram concedidos em 2001 por um charuto de 11,04 metros, em 2003 (14,86 m), de 20,41 m em 2005, de 43,38 m em 2008 e de 81.80 m, em 2011.

afp_tickers

 AFP