AFP

O senador Tim Caine e a candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, em Miami, no dia 23 de julho de 2016

(afp_tickers)

A Convenção Nacional Democrata indicou o senador Tim Kaine, de 58, formalmente e por aclamação, nesta quarta-feira, como companheiro de Hillary Clinton na chapa que disputará a presidência dos Estados Unidos na eleição de 8 de novembro.

Hillary já havia anunciado sua escolha por Kaine, na última sexta-feira (22).

Desde o início da campanha, o senador pelo estado da Virgínia era um dos favoritos a integrar a chapa por agregar elementos fundamentais para atrair votos em setores do eleitorado nos quais a ex-secretária de Estado tem limitações.

Católico e formado em Direito pela Universidade de Harvard, Tim passou parte de sua juventude como missionário religioso em Honduras. Sua fluência em espanhol pode ajudar a consolidar o apoio do eleitorado latino à candidatura de Hillary, por exemplo.

Tem experiência em Política Externa (participa das Comissões de Forças Armadas e de Relações Exteriores do Senado) e é um advogado com extensa atividade no estado da Virgínia, onde o conservador Partido Republicano é tradicionalmente forte.

Foi eleito prefeito de Richmond, na Virgínia, em julho de 1998, e governador desse estado, em 2006. Em 2012, chegou ao Senado americano.

Em um momento no qual políticos americanos se mostram mais mordazes e polarizados, o equilibrado Kaine é visto como um eficiente construtor de consensos. Além disso, tem um excelente diálogo com todas as tendências do Partido Democrata, incluindo o entorno do senador por Vermont e finalista na atual prévia democrata, junto com Hillary, o progressista Bernie Sanders.

Na convenção, que acontece na Filadélfia e termina amanhã, ficou clara a insatisfação de uma parte da ala mais à esquerda do partido com essa opção. Os delegados que optaram por Sanders nas prévias esperavam que o partido anunciasse uma figura mais próxima dos progressistas para atrair esses votos.

afp_tickers

 AFP