AFP

Uma estatueta de porcelana de Mickey Mouse, que pode ter pertencido a uma criança deportada ao campo de extermínio nazista de Auschwitz-Birkenau, foi descoberta recentemente, mais de 70 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial

(afp_tickers)

Uma estatueta de porcelana de Mickey Mouse, que pode ter pertencido a uma criança deportada ao campo de extermínio nazista de Auschwitz-Birkenau, foi descoberta recentemente, mais de 70 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, informou à AFP uma fundação local.

"É um objeto muito triste, pois recorda uma criança que sem dúvida morreu no campo. Foi encontrado pouco depois da guerra, às margens do Vístula, a mais de um quilômetro do campo pelos moradores de uma granja, que o colocaram ao lado de outros pequenos objetos e nos entregaram recentemente", afirmou Agnieszka Molenda, presidente de uma fundação que reúne peças vinculadas à história do campo.

A organização, que colabora com o museu Auschwitz-Birkenau, reuniu milhares de objetos que eram preservados pelos moradores da região.

"Não sabemos nada e talvez nunca saberemos a quem pertencia a estatueta", disse.

"Sabemos apenas, após examiná-la, que foi fabricada na Alemanha nos anos 1930 sem direitos autorais da Disney. É um modelo que esteve à venda na Alemanha entre 1929 e 1932 e foi exportado para países europeus vizinhos", explicou Molenda.

"O homem que nos entregou a peça, e que pediu anonimato, contou que seu avô, ao trabalhar nos campos depois da guerra, desenterrou a estatueta junto com moedas do gueto de Lodz (centro da Polônia) e escovas pequenas. Ele guardou os objetos em casa".

Quase 1,1 milhão de pessoas, principalmente judeus de vários países europeus, morreram no campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau. Quase 80.000 poloneses, 25.000 ciganos e 20.000 soldados soviéticos também foram assassinados. O campo foi libertado pelo Exército Vermelho em janeiro de 1945.

Historiadores calculam que 232.000 crianças morreram no campo de extermínio.

afp_tickers

 AFP