AFP

A companhia francesa Alstom anunciou, nesta sexta-feira (26), um histórico contrato de US$ 2 bilhões para vender trens de alta velocidade (TGVs, em francês) nos Estados Unidos, os quais cobrirão a rota entre Washington, Nova York e Boston

(afp_tickers)

A companhia francesa Alstom anunciou, nesta sexta-feira (26), um histórico contrato de US$ 2 bilhões para vender trens de alta velocidade (TGVs, em francês) nos Estados Unidos, os quais cobrirão a rota entre Washington, Nova York e Boston.

A companhia ferroviária americana Amtrak pediu ao grupo francês 28 trens de nova geração para substituir suas composições, que operam desde o ano 2000 e foram fabricadas por um consórcio entre a canadense Bombardier e Alstom. Esta última contava, então, com apenas 25% da sociedade.

Esses trens de nova geração vão unir Boston e Washington, passando por Nova York e Filadélfia, cobrindo uma distância de 730 km.

O objetivo de Amtrak é "aumentar a capacidade de transporte de passageiros, diminuir o tempo de viagem e otimizar os gastos de exploração".

O número de passageiros nessa linha de alta velocidade nos Estados Unidos era de 3,5 milhões em 2014, segundo cifras da Alstom.

"Nessa região entre Boston e Washington vive um em cada sete americanos", lembrou o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, que anunciou o investimento da Amtrak.

O novo trem poderá transportar até 35% mais passageiros do que os que cobrem a rota atualmente. Em princípio, a velocidade será de 257 km/h, podendo chegar aos 300 km/h.

Hoje, leva-se 2h45 para ir de Nova York a Washington, cobrindo uma distância de 350 km aproximadamente.

O TGV francês percorre os 425 km entre Paris e Lyon em apenas 1h55.

O contrato criará 400 empregos diretos no estado de Nova York, indicou a Alstom, que conta com mais de mil trabalhadores na região.

Segundo a Amtrak, os primeiros trens começarão a operar em 2021.

afp_tickers

 AFP