AFP

O presidente americano, Barack Obama, e a candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, na Filadélfia, no dia 27 de julho de 2016

(afp_tickers)

A candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton, dirá nesta quinta (28) que o país passa por um "momento definidor" - de acordo com trechos antecipados à imprensa do discurso de aceitação da indicação do partido que ela fará no último dia da Convenção Nacional.

"Os Estados Unidos estão novamente diante de um momento decisivo. Forças poderosas ameaçam nos dividir. Os laços de confiança e respeito estão se rompendo (...) Devemos decidir se vamos trabalhar juntos para poder crescer todos juntos", convocará a ex-secretária de Estado, falando para quase 5.000 delegados democratas.

Segundo Hillary, a conjuntura, pela qual o país atravessa, também é difícil na Segurança Nacional.

"Qualquer pessoa que esteja lendo as notícias sabe das turbulências que enfrentamos (...). Temos pela frente inimigos determinados que devem ser derrotados", acrescentará.

"Não temos medo. Vamos crescer perante o desafio, como sempre fizemos", reforçará a candidata.

"Minha principal missão como presidente será criar mais oportunidade e mais bons empregos com salários melhores bem aqui nos Estados Unidos", prometerá, acrescentando que será feito "do primeiro dia no cargo até o último".

"E especialmente em lugares que, por muito tempo, foram postos de lado e deixados para trás", ainda segundo o discurso antecipado.

Hillary Clinton é a primeira mulher a ser indicada candidata à presidência dos Estados Unidos por um dos grandes partidos do país.

afp_tickers

 AFP