AFP

(Arquivo) Melania Trump

(afp_tickers)

O jornal The New York Post publicou nesta segunda-feira em sua primeira página uma foto da potencial primeira-dama americana, Melania Trump, nua, desatando críticas nas redes sociais e acusações de misoginia.

Este é o segundo dia consecutivo que o jornal sensacionalista de Rupert Murdoch publica fotos nuas da esposa do candidato presidencial republicano Donald Trump tirada nos anos em que ela era uma jovem modelo

"Menage a Trump", diz o título, fazendo um jogo de palavras com "ménage a trois", junto a legenda "fotos exclusivas".

A foto mostra Melania nua e abraçada por outra mulher também nua, as duas deitadas numa cama.

No domingo, o Post publicou na primeira página outra foto de Melania nua, com estrelas cobrindo seus seios e o título "The ogle office" (salão lascivo), um trocadilho com "salão oval" da Casa Branca.

A equipe de campanha do candidato republicano deu pouca importância à publicação das fotos.

Um assessor de Trump, Jason Miller, disse à CNN que "não havia nada de embaraçoso com as fotos, ela é uma linda mulher".

As duas séries de fotos foram tiradas em 1995 quando Melania, nascida na Eslovênia, tinha 25 anos e trabalhava como modelo, antes de conhecer Trump.

As fotos foram publicadas na hoje extinta revista francesa Max.

Em meados de abril, o New York Post anunciou seu apoio a Trump para presidente, descrevendo-o como "uma superestrela potencial de grande promessa, mas que comete erros de novato".

A reação às fotos foi mista no Twitter.

"A vergonha é tua #NewYorkPost por fazer Melania Trump passar por prostituta. Os Estados Unidos não precisam de contribuições neanderthais nessa eleição escandalosa", afirma um tuíte.

"Estou horrorizado e indignado. Misoginia é misoginia", diz outro.

Alguns questionaram a reação dos eleitores republicanos cristãos e evangélicos, e se Murdoch, que tem postura conservadora, se voltou contra Trump.

Melania conheceu Trump em 1998 e virou a terceira esposa do magnata em 2005.

afp_tickers

 AFP