AFP

Manifestantes em "marcha pela Europa" em Londres em 3 de setembro

(afp_tickers)

Uma "marcha pela Europa" reuniu neste sábado em Londres, Birmingham, Oxford e Edimburgo milhares de pessoas que pediram a manutenção, apesar do Brexit, das relações estreitas entre o Reino Unido e a União Europeia.

Em Londres, 2.000 manifestantes saíram na manhã deste sábado de Hyde Park e marcharam até o Parlamento de Westminster, carregando bandeiras europeias e entoando lemas como "Stop ao Brexit" ou "Precisamos da UE".

"A metade do país pensa que abandonar a União Europeia é uma decisão ruim. Não queremos deixar a UE, isso vai contra o curso da história", declarou David Hillman, de 42 anos, referindo-se ao referendo de 23 de junho, no qual 52% dos britânicos votaram por deixar o bloco.

"De fato, a maioria de nós não consegue acreditar que esta (saída da UE) possa acontecer", acrescentou Hillman, responsável por uma associação de luta contra a pobreza.

Entre os manifestantes se encontrava o ator e humorista Eddie Izzard que, durante a campanha, participou de atos de estudantes para convencê-los a votar contra uma saída da UE.

"Seguimos lutando", declarou. "Theresa May (primeira-ministra britânica, conservadora) diz que 'Brexit significa Brexit'. Mas o que significa o Brexit? Ela não sabe de nada".

As manifestações ocorreram dois dias antes do debate no Parlamento de uma petição on-line que pede a realização de um segundo referendo, um texto que reuniu quatro milhões de assinaturas.

No entanto, May já advertiu que "não haverá um segundo referendo" e que colocará em andamento o Brexit, apesar de ter defendido a permanência na UE antes do referendo.

afp_tickers

 AFP