AFP

Milhares de seguidores e partidários aguardam sob chuva na porta de um tribunal em Buenos Aires, onde nesta quarta-feira deve comparecer a ex-presidente argentina Cristina Kirchner, pela primeira vez intimidada pela justiça.

(afp_tickers)

Milhares de seguidores e partidários aguardam sob chuva na porta de um tribunal em Buenos Aires, onde nesta quarta-feira deve comparecer a ex-presidente argentina Cristina Kirchner, pela primeira vez intimidada pela justiça.

Kirchner vai depor sobre operações cambiais do Banco Central realizadas durante os últimos meses de seu governo, ao mesmo tempo que também é investigada por suposta lavagem de dinheiro.

A Argentina é sacudida por um turbilhão judicial onde os envolvidos são ex-funcionários de alto escalão dos governos de centro-esquerda de Néstor e Cristina Kirchner, que entre 2003 e 2015 marcaram a vida política deste país. As acusações vão de enriquecimento ilícito à lavagem de dinheiro com suspeitas cruzadas de parcialidade de promotores e juízes.

Kirchner foi convocada a comparecer nesta quarta-feira ao tribunal federal liderado pelo juiz Claudio Bonadío, ao qual acusou de parcialidade e tentou destituir durante seu governo (2007-2015).

Militantes kirchneristas se preparam para uma gigantesca mobilização diante dos tribunais nesta quarta-feira, sob slogans épicos de salvação à líder do partido.

Fontes do governo citadas pela imprensa local minimizaram a manifestação e explicaram que não estão previstas medidas especiais de segurança para Kirchner além das reservadas a todo ex-presidente.

afp_tickers

 AFP