AFP

O candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump

(afp_tickers)

Os eleitores latinos rejeitam em massa o Partido Republicano e seu virtual candidato à Casa Branca, Donald Trump, a quatro meses das eleições, revela pesquisa divulgada nesta segunda-feira (11) que destaca uma crescente preocupação dos hispânicos de serem discriminados.

No total, 74% dos eleitores latinos entrevistados disseram que votarão na candidata democrata Hillary Clinton, frente aos 16% que optaram por Trump, o magnata que tem provocado polêmica por seus comentários sobre os imigrantes mexicanos.

A pesquisa encomendada pelo America's Voice e realizada pelo Latino Decision mostra um cenário mais folgado para Hillary entre os latinos do que a apertada vantagem da democrata sobre Trump, em pesquisa publicada na semana passada.

Trump começou a ganhar espaço em abril, quando tinha 10% das intenções de voto latino, ainda que basicamente tenha aglutinado os eleitores do senador de origem cubana Ted Cruz, que se retirou da campanha em maio, disse Sylvia Manzano, diretora principal do Latino Decisions.

Mas o magnata parece se encaminhar para um desempenho pior do que o de Mitt Romney, em 2012, quando os latinos apoiaram Barack Obama com uma margem de 75% contra apenas 23% do candidato republicano.

As opiniões desfavoráveis sobre Trump se estendem ao Partido Republicano, que os latinos em sua maioria vinculam às tentativas de bloquear esforços no Congresso e na Casa Branca de reformar o sistema migratório, um assunto muito presente na comunidade latina.

Além disso, 77% acreditam que os republicanos são indiferentes ou hostis aos latinos, diante de 36% que opinam o mesmo dos democratas, segundo a pesquisa do Latino Decisions, que entrevistou 657 eleitores latinos em todo o país, em espanhol e inglês, e tem margem de erro de 3,8 pontos.

Em consequência, sete a cada dez latino votarão nos democratas, frente aos dois que votarão pelos republicanos, na eleição de novembro, em que também será eleita uma parte do Congresso.

Por conta de toda a discriminação contra os latinos, o número de pessoas deste grupo entusiasmadas a votar aumentou, principalmente após o bloqueio pelo Congresso Nacional de um plano de Obama de salvar da deportação quase metade dos 11 milhões de imigrantes do país.

Sem surpresa, 66% dos entrevistados rejeitaram a decisão judicial e uma proporção similar indicou que essa é uma razão a mais para votar em Hillary, que conta com todo o respaldo de Obama.

Espera-se que 13 milhões de latinos votem nas eleições presidenciais americanas.

A três semanas de oficializar sua candidatura na convenção democrata, Hillary Clinton procura conquistar o eleitorado "geral", mas Trump reduziu a vantagem da ex-secretária de Estado de 42% para 40%, segundo pesquisa recente da Universidade de Quinnipiac.

afp_tickers

 AFP