Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policiais lançam gás lacrimogênei contra manifestantes, em Caracas, no dia 1º de setembro de 2016

(afp_tickers)

Agentes da Polícia e da Guarda Nacional da Venezuela lançaram gás lacrimogêneo contra um grupo de manifestantes que jogavam pedras, após uma grande passeata realizada nesta quinta-feira (1º) pela oposição para pedir um referendo revogatório contra o presidente Nicolás Maduro.

Ao fim da chamada "Tomada de Caracas", cerca de 400 pessoas se mobilizaram para a autoestrada Francisco Fajardo, principal via da capital venezuelana, que estava fora das rotas traçadas pela liderança opositora.

Um grupo de encapuzados jogou pedras nos agentes, que responderam com balas e bombas de gás lacrimogêneo. Os manifestantes devolveram o ataque. Até o momento, esse sconfronto parece ter sido um episódio isolado.

"Atentos! Denunciamos a presença de infiltrados (...) pedindo a tomada da autoestrada em Las Mercedes", denunciou a aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD), no Twitter, que já havia comemorado o fato de a marcha ter acontecido de forma pacífica.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP