AFP

O presidente equatoriano, Rafael Correa, fala com jornalistas, em Nova York, no dia 12 de abril de 2016

(afp_tickers)

O presidente equatoriano, Rafael Correa, pediu nessa terça-feira em Nova York uma "campanha mundial" para que se conheça "toda a informação" disponível sobre os chamados "Panama Papers" e para ver "quem é quem" no caso sobre possíveis sonegações fiscais e lavagem de dinheiro.

"Exigimos toda a informação para ver quem é quem. Devemos fazer uma campanha mundial para que deem toda a informação", afirmou Correa em declaração à imprensa durante uma visita à sede das Nações Unidas.

Segundo o presidente equatoriano, o vazamento de documentos que revelou como o escritório de advocacia panamenho Mossack Fonseca criou diversas sociedades offshore por personalidades do mundo todo não foi imparcial, já que foram contratados "jornalistas inimigos de certos governos".

"Esses papéis têm quase um ano, desde julho de 2015, e o que fizeram foi contratar jornalistas inimigos de certos governos. Em nosso caso, jornalistas do El Comercio, do El Universo, opositores abertos ao governo, para buscar por todos os lados algo que possa prejudicar o governo, e não encontraram absolutamente nada, o que demonstra que somos um governo absolutamente honesto", afirmou.

afp_tickers

 AFP