AFP

Operários trabalham durante corte de energia elétrica em San Cristóbal em 25 de abril

(afp_tickers)

Dezenas de pessoas foram detidas nesta quarta-feira em Maracaibo durante protestos contra o racionamento de energia elétrica adotado na Venezuela, em meio a atos de vandalismo na segunda principal cidade do país.

"Ao menos 95 pessoas foram detidas por atos de vandalismo", informou no Twitter Biagio Parisi, secretário de Segurança e Ordem Pública do estado de Zulia, cuja capital é Maracaibo.

O governador de Zulia, Francisco Arias Cárdenas, disse que "nas últimas 48 horas" foram registrados protestos em sete dos 18 distritos de Maracaibo, com 73 lojas atacadas.

"Isto é um plano de desestabilização que cavalga sobre situações que devemos resolver", avaliou Cárdenas, acrescentando que ocorreram saques.

Na segunda-feira passada, o governo do presidente Nicolas Maduro adotou um plano de racionamento de energia em vários estados diante do colapso da represa que abastece a principal central hidroelétrica da Venezuela.

O governador de Maracaibo admitiu que ocorreram falhas na aplicação do racionamento elétrico, que estipula cortes de energia durante quatro horas por dia.

Nesta quarta-feira, Maduro determinou que as forças armadas ajam para reprimir desordens e atos de vandalismo durante os protestos contra o racionamento.

Segundo Maduro, a violência é alentada pela oposição para desestabilizar o governo socialista.

afp_tickers

 AFP