AFP

A rede Kentucky Fried Chicken (KFC) é um grande símbolo do capitalismo americano na China, com mais de 4 mil lojas

(afp_tickers)

Os restaurantes de fast-food KFC de várias cidades chinesas foram palco de manifestações contra os Estados Unidos em protesto contra o papel de Washington na arbitragem internacional sobre a zona disputada do Mar da China Meridional, informaram meios de comunicação locais nesta quarta-feira.

Os manifestantes se reuniram diante destes restaurantes agitando cartazes e gritando slogans contra os Estados Unidos em ao menos onze cidades, segundo o site Sohu.

"Fora da China, vão embora, KFC e McDonalds!", afirmava um cartaz.

A rede de fast-food Kentucky Fried Chicken (KFC) é para os chineses um símbolo do capitalismo americano, com quase 5.000 restaurantes em todo o país.

Estas manifestações antiamericanas, que reuniram dezenas de pessoas em cada protesto, começaram durante o fim de semana em Hebei (província do norte que cerca Pequim), antes de se estenderem às grandes capitais provinciais de Changsha e Hangzhou.

Em Jiangsu (leste), a polícia inclusive ordenou o fechamento dos restaurantes KFC para "prevenir desordens", disse Sohu.

A imprensa estatal chinesa acusa Washington de ter apoiado as Filipinas para apresentar uma demanda ante a Corte Permanente de Arbitragem (CPA) de Haia contra Pequim para resolver a disputa entre os dois países sobre uma zona estratégica do mar da China Meridional.

A CPA julgou na semana passada que Pequim não tinha "direitos históricos" para exigir a maioria das águas deste mar, diante das reivindicações de Filipinas, Vietnã, Malásia e Brunei.

Após a sentença, Pequim respondeu que não aceitaria a decisão da Corte.

afp_tickers

 AFP