AFP

O ator americano de televisão Bill Cosby, em Norristown, Pensilvânia, no dia 7 de julho de 2016

(afp_tickers)

O ator americano de televisão Bill Cosby não conseguiu que fosse aceito um recurso que seus advogados apresentaram no caso de abuso sexual em 2004 que o famoso comediante negro enfrenta.

Cosby enfrentará uma pena de até 10 anos de prisão se for considerado culpado na corte da Pensilvânia por agressão sexual grave contra Andrea Constand, em sua casa nesta região do leste dos Estados Unidos.

Seus advogados insistem que as relações foram consensuais, e na terça-feira tentaram que o juiz descartasse o caso com base em erros de procedimentos, por violações dos direitos do ator, dado que Constand não foi chamada para falar em uma audiência anterior, o que impediu uma acareação entre ambos.

"Confiamos que a máxima corte do estado (da Pensilvânia) corrija este erro, reverta esta decisão e nos permita iniciar o caminho seguro de que a inocência do senhor Cosby foi demonstrada", enfatizou Brian McMonagle.

Denunciado por dezenas de mulheres por supostos abusos ocorridos em sua maioria décadas atrás, o ator foi acusado no último 30 de dezembro por agressão sexual agravada contra Constand, uma ex-funcionária da Universidade de Temple, na Pensilvânia.

afp_tickers

 AFP