AFP

(afp_tickers)

A investigação sobre o acidente aéreo em que morreram 71 pessoas na Colômbia, incluindo jogadores da Chapecoense, aponta falta de combustível. Isso é o que preveem as regras da aviação civil internacional sobre esse assunto.

"O volume total de combustível necessário em um voo se baseia em vários fatores, como a massa da aeronave na decolagem, as condições meteorológicas e a rota prevista", disse à AFP um porta-voz da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI).

Essa agência especializada da ONU com sede em Montreal aborda os volumes de combustível necessários nas aeronaves comerciais no Anexo 6 de seu regulamento.

É previsto que o plano de voo calcule sistematicamente a reserva adicional, que é acrescentada à "reserva final".

- Para a reserva adicional de destino, o piloto deve carregar quantidades suplementares de querosene suficientes para chegar a um aeroporto alternativo, identificado na saída, caso não seja possível aterrissar no destino inicial.

Caso esteja próximo de um aeroporto de emergência, a companhia deve prever para sua aeronave reservas equivalentes a duas horas de voo adicionais, para poder esperar sobrevoando a pista.

- A reserva final é o volume de combustível disponível na aeronave, uma vez que ela aterrisse.

Este volume é calculado "para que o avião possa voar durante 45 minutos a uma velocidade e uma altitude específicas para o Estado da (companhia) proprietária", ou "para que o avião possa voar durante 30 minutos a velocidade de espera a 450 metros" na vertical do aeroporto.

No anexo, atualizado em julho desse ano, a OACI recomenda que "os proprietários determinem a reserva final de cada tipo de avião de sua frota, arredondando até um número fácil de recordar".

Todas essas regras servem de base para legislações nacionais adotadas por cada um dos 191 Estados-membros, segundo a OACI.

De acordo com seus estatutos, a agência da ONU espera agora que as autoridades colombianas enviem "os resultados da investigação oficial sobre o acidente", que deixou 71 mortos, incluindo jogadores, técnicos e dirigentes da Chapecoense, além de jornalistas.

afp_tickers

 AFP