AFP

O presidente da comissão de investigação parlamentar sobre os atentados de 2015, Georges Fenech, em Paris, no dia 12 de julho de 2016

(afp_tickers)

O governo da França recebeu informações sobre um plano de atentado contra atletas franceses durante os Jogos Olímpicos do Rio - de acordo com o chefe dos Serviços de Inteligência militar, citado em um documento oficial.

O projeto foi relatado durante audiência do general Christophe Gomart, da Direção de Inteligência Militar (DRM, na sigla em francês), diante de uma comissão de investigação parlamentar sobre os atentados de 2015, em Paris, que deixaram 147 mortos.

No relatório dessa comissão, publicado ontem, aparece o resumo parcial de seu testemunho, em 26 de maio passado.

Depois de um trecho censurado, o presidente da Comissão, Georges Fenech, pergunta ao general: "Eu não tinha ouvido falar desse cidadão brasileiro que se preparava para cometer atentados contra a delegação francesa nos Jogos Olímpicos. Como você pode saber disso?".

O general Gomart responde, então, laconicamente: "por nossos parceiros".

Nenhuma outra informação foi divulgada pelas autoridades francesas.

Um ataque extremista no Rio de Janeiro durante os Jogos 2016 é uma "possibilidade", mas "não uma probabilidade", havia declarado no início de julho o ministro brasileiro da Justiça e da Cidadania, Alexandre de Moraes.

Cerca de 85.000 membros das forças de segurança - 47.000 policiais e 38.000 militares - serão mobilizados para garantir a segurança dos 10.500 atletas, além de oficiais, imprensa e turistas do mundo inteiro esperados para as Olimpíadas.

Os Jogos acontecem de 5 a 21 de agosto.

afp_tickers

 AFP