AFP

Policiais cercam estação após ataque a trem, em Salez, Suíça, no dia 13 de agosto de 2016

(afp_tickers)

Um suíço de 27 anos ateou fogo a um vagão de trem na Suíça usando líquido inflamável e esfaqueou vários passageiros neste sábado, ferindo seis pessoas, entre elas um menino de seis anos, informou a polícia suíça.

Este ataque é o último de uma série de atos violentos, muitas vezes mortais, que ocorreram na Europa nos últimos meses. Entre os incidentes ocorreram atentados reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

A polícia informou à AFP neste sábado que as motivações do autor ainda são desconhecidas.

"Não podemos nem excluir nem afirmar que se trata de um ato terrorista", disse o porta-voz da polícia de San Galo, Bruno Metzger, ao diário local St.Galler Tagblatts.

Seu colega Hanspeter Kruesi disse à AFP que o suspeito tem nacionalidade suíça e não é imigrante.

"De acordo com a informação que temos, um homem suíço de 27 anos lançou líquido inflamável (que) provocou fogo", afirma o comunicado, acrescentando que o homem "estava armado com ao menos uma faca".

O trem circulava pelo leste do país, ao longo da fronteira com Liechtenstein, detalhou a polícia regional de St. Gallen em um comunicado. O homem que realizou o ataque também ficou ferido.

Segundo a polícia, o incidente foi registrado às 14h20 locais (09h20 de Brasília) perto da estação de Salez, em um trem em movimento que se dirigia de Buchs a Sennwald.

Seis pessoas feridas, assim como o próprio criminoso, foram hospitalizadas com queimaduras e ferimentos provocados por facas, indicou o comunicado, sem fornecer mais detalhes.

Além do menino de seis anos, entre os feridos há dois homens de 17 e 50 anos, e três mulheres de 17, 34 e 43 anos, disse a polícia, acrescentando que no momento do ataque dezenas de pessoas estavam no trem.

Uma mulher e o agressor estão "gravemente feridos", disse à AFP Hanspeter Kruesi, porta-voz da polícia.

Ninguém tentou dominar o agressor, mas ele ficou ferido no incêndio, completou.

- Europa em suspense -

Um grande dispositivo de segurança, com policiais, bombeiros, ambulâncias e helicópteros de resgate se dirigiu ao local do incidente.

A polícia informou que o trem sofreu danos no valor de 100.000 francos suíços (92.000 euros, 103.000 dólares).

O Ministério Público de St. Gallen já abriu uma investigação criminal para esclarecer o ataque.

A estação de Salez permanecia fechada e foi instalado um sistema de ônibus em seu lugar, de acordo com o comunicado.

O ataque é o último de uma série de atos violentos que têm deixado o Velho Continente em suspense.

Em janeiro de 2015, um ataque de comandos extremistas atingiu a revista satírica francesa Charlie Hebdo, deixando 12 mortos, enquanto outras quatro pessoas morreram depois em um atentado contra um supermercado kosher de Paris.

Depois, em novembro, uma ação coordenada de extremistas suicidas do grupo Estado Islâmico deixou 130 mortos em Paris.

Em 22 de março deste ano, um ataque contra o aeroporto de Bruxelas e contra uma estação de metrô, reivindicados pelo EI, deixaram 32 mortos.

Meses depois, em 14 de julho, um homem lançou seu caminhão contra a multidão que comemorava a festa nacional na cidade francesa de Nice, matando 85 pessoas.

Contudo, a Alemanha sofreu vários ataques e incidentes violentos nas últimas semanas.

Em julho, foram registrados dois atentados executados por migrantes no estado da Baviera, no sul do país.

Um ataque com machado cometido em um trem por um adolescente de 17 anos, provavelmente do Afeganistão, deixou cinco feridos, e um atentado de um sírio, que morreu no ataque, feriu quinze pessoas nas imediações de um festival de música.

Em Munique, um tiroteio executado por um jovem alemão de origem iraniana de 18 anos deixou nove mortos.

afp_tickers

 AFP