AFP

(Arquivo) Um cidadão ucraniano reconheceu nesta terça-feira ante a justiça dos Estados Unidos ter hackeado em 2013 bancos de dados de empresas para obter cerca de 30 milhões de dólares

(afp_tickers)

Um cidadão ucraniano reconheceu nesta terça-feira ante a justiça dos Estados Unidos ter hackeado em 2013 bancos de dados de empresas para obter cerca de 30 milhões de dólares.

Vadym Iermolovych, de 28 anos, declarou, perante a juíza Madeline Cox Arleo, do tribunal federal de Newark (New Jersey), ser culpado de uso de identidade falsa, associação com criminosos para cometer fraudes e ato de ciberpirataria.

Dez pessoas foram indiciadas em conexão com a investigação de eventos que ocorreram entre 2010 e 2015.

Contratados por corretores, os hackers conseguiram entrar no sistema de três grandes empresas de comunicação empresarial, Marketwire, PR Newswire e Business Wire, e extraíram antes da sua publicação oficial comunicados de dezenas de empresas.

Em seguida, deram acesso privilegiado a essas informações aos corretores, que realizaram transações tirando proveito das informações.

No total, os operadores de mercado conseguiram cerca de 30 milhões de dólares em lucros.

O chefe da rede virtual fraudulenta pode ser condenado a 20 anos de prisão e a uma multa de US$ 250.000.

A ciberpirataria pode ser punida com cinco anos de prisão e o roubo de identidade a dois anos. A sentença será pronunciada em 22 de agosto.

afp_tickers

 AFP