AFP

(26 jul) Policiais no local onde os extremistas foram mortos

(afp_tickers)

Um dos nove supostos islamitas abatidos na terça-feira em Daca, capital de Bangladesh, em um tiroteio com a polícia tinha nacionalidade americana, indicou nesta quinta-feira a polícia.

Shahzad Rouf, de origem bengalesa, morreu na terça-feira em uma operação contra um lugar onde se refugiavam os islamitas, disse na quarta-feira à AFP o porta-voz da polícia da capital, Masudur Rahman.

"Era um cidadão americano. Sua identidade foi confirmada graças a uma verificação de suas impressões digitais", declarou. Outros seis islamitas também foram identificados por suas impressões digitais.

A polícia está buscando um deles, que fugiu durante o ataque de terça-feira, e está comprovando se a célula tinha vínculos com a organização extremista Estado Islâmico (EI).

"Estamos investigando. Hassan afirmou que era membro do EI", disse à AFP uma fonte policial que não quis se identificar, referindo-se a um homem detido na terça-feira e que está no hospital.

Shahzad Rouf tinha 24 anos e era estudante de administração da North South University (NSU) de Daca, disse a polícia.

Segundo os meios de comunicação, era amigo de Nibras Islam, uma das cinco pessoas que no dia 1º de julho tomaram reféns em um restaurante de Daca e mataram 22 pessoas, em sua maioria estrangeiros.

Muitos extremistas islamitas procedem da NSU, uma universidade privada de Daca.

afp_tickers

 AFP