AFP

O presidente uruguaio, Tabaré Vázquez (esq.), cumprimenta o presidente chinês, Xi Jinping, durante cerimônia de assinatura no Grande Hall do Povo em Pequim, em 18 de outubro de 2016

(afp_tickers)

O governo uruguaio anunciou nesta terça-feira um acordo com a China para avançar a um tratado bilateral de livre-comércio, em uma nota oficial publicada em meio a uma visita de Estado do presidente Tabaré Vázquez ao gigante asiático.

Citando o diretor para América Latina e Caribe da chancelaria chinesa, Zhu Qinggiao, a Presidência uruguaia anunciou o "estabelecimento de uma associação estratégica" entre os dois Estados e afirmou que os presidentes Vázquez e o chinês, Xi Jinping, acordaram "iniciar o quanto antes o processo de negociação para a inscrição de um tratado de livre-comércio bilateral".

"China e Uruguai são partidários das economias abertas no mundo", informou o responsável chinês, de acordo com o site da Presidência uruguaia.

O Uruguai faz parte do Mercosul junto com Brasil, Argentina, Paraguai e Venezuela. O bloco requer por normativa interna a anuência de todos os sócios para negociar acordos bilaterais. Mas desde que Mauricio Macri e Michel Temer chegaram ao poder na Argentina e no Brasil respectivamente, estabeleceu-se a ideia de uma flexibilização do Mercosul.

Vázquez viajou para a China com uma grande delegação, que incluía ministros, empresários, e esportistas entre outros.

A visita começou em 11 de outubro e culmina precisamente em Pequim, onde se encontra Vázquez nessa terça-feira.

afp_tickers

 AFP