Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Arquivos da Rádio Suíça Internacional Lucerna, suas belezas, suas atrações

Banner arquivos históricos da Rádio Suíça Internacional
(swissinfo.ch)

Levar o ouvinte da antiga Rádio Suíça Internacional (RSI) à Lucerna, uma das “pérolas” do turismo suíço. Esse foi o objetivo do jornalista Gabriel Barbosa em 1977 ao produzir uma reportagem especial sobre essa localizada no centro da Suíça e famosa pela sua ponte de madeira. Escute aqui o áudio.

O trecho musical que introduz a reportagem transmitida pelas ondas tropicais da antiga Rádio Suíça Internacional (RSI) é um elogio de famosos autores (A. Dumas, R. Wagner, A. Schopenhauer) à espetacular beleza de Lucerna, ou “Luzern”, como é conhecida em alemão - e seus arredores.

A pequena cidade, à beira do Lago dos Quatro Cantões - surgida em torno de um convento, transformando-se em aldeia de pescadores, antes de se tornar um burgo – já era no final dos anos 1970 o principal polo turístico da Suíça.

Mas LucernaLink externo tem, de fato, muito a oferecer: um lago esplêndido, os Alpes vizinhos, célebres montes, como o PilatusLink externo e o RigiLink externo, e possibilidades de praticar montanhismo e alpinismo. A própria cidade rivaliza em beleza com qualquer cidade europeia. As possibilidades culturais e artísticas são também consideráveis.

A propaganda turística não deixa de explorar tudo isto, até porque Lucerna se encontra numa via histórica entre o norte e o sul da Europa. Seu desenvolvimento é tributário dessa situação de encruzilhada. Verdadeira porta dos Alpes, permite intercâmbio com a Itália, ao sul, Alemanha ao norte e França a oeste.

A linha do Gotardo e o túnel do mesmo nome transformam Lucerna em plataforma giratória - ou seja, uma ponte - do tráfego ferroviário Norte-Sul. Pela cidade passa também importante rodovia, amplamente utilizada pelos europeus do Norte, em busca do sul do continente.

Para quem visita à região, vale lembrar que a beleza de Lucerna só é realçada pelo bom tempo. Em dias carrancudos, é melhor visitar monumentos e museus interessantes: a Catedral, a Kappelbrücke - a ponte de madeira mais antiga da Europa, construída em 1333... Não se deve esquecer também a Mullenbrücke, de 1408. Essas duas pontes são cobertas e estão decoradas com pinturas triangulares que retratam a vida nos velhos tempos.

Merecem ainda visitas: a Wasserturm (torre da água), do séc. XIV; as muralhas que serviram para combater a dinastia dos Habsburgos e os protestantes na Contra-Reforma.

O lucernense é gentil, mas desconfia dos estrangeiros. Seu dialeto alemão é pouco acessível, mas o suíço, poliglota, fala com frequência o inglês, o italiano ou outros idiomas.

As possibilidades de alojamento confortável são muitas, havendo hotéis luxuosos nessa cidade que dispõe de cinco mil camas. Passear pela velha e medieval Lucerna é apreciado pelos turistas em geral. Mas pode-se andar de barco no lago, mesmo à noite. 

As facilidades de prática esportivas são variadas em todas as estações do ano. Uma boa pedida é uma visita ao Museu dos TransportesLink externo, o mais importante do mundo. Nele se podem avaliar o progresso e a história dos meios de transportes, do navio ao foguete interplanetário, passando pelo automóvel (inclusive um Mercedes de 1886 que já chegava a 15 km/h e um Mercedes esportivo de 1934, que atingia 280 km/h) e o avião, por exemplo. Maior atração é exercida, porém, pelas locomotivas.

Para quem gosta de música, uma opção é visitar o Museu Richard WagnerLink externo. Note-se que o compositor alemão viveu nos arredores de Lucerna de 1866 a 1872.

A propósito, mencionemos por fim as prestigiosas Semanas Internacionais de MúsicaLink externo, criadas em 1938...

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.