Reuters internacional

CAIRO/DUBAI (Reuters) - Trinta e um refugiados somalis foram mortos na costa do Iêmen no final de quinta-feira, quando um helicóptero atacou o barco no qual viajavam, disse um guarda costeiro local em Hodeidah, área controlada pelo grupo houthi.

Mohamed al-Alay, da Guarda Costeira, disse à Reuters que os refugiados, que portavam documentos oficiais do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), iam do Iêmen ao Sudão quando foram alvejados por um helicóptero Apache perto do estreito de Bab al-Mandeb.

Um marinheiro que operava o barco, Ibrahim Ali Zeyad, disse que 80 refugiados foram resgatados após o incidente. Não ficou claro de imediato quem realizou o ataque.

Localizada no Mar Vermelho, Hodeidah é controlada por combatentes houthis aliados ao Irã que dominaram a capital iemenita, Sanaa, em 2014 e forçaram o governo do presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi, que tem respaldo de Riad, a fugir para o exílio.

Uma coalizão liderada pelos sauditas foi formada em 2015 para combater os houthis e tropas leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh que dispararam mísseis contra a vizinha Arábia Saudita.

O estreito de Bab al-Mandeb é uma rota marítima estratégica ao sul do Mar Vermelho através da qual quase 4 milhões de barris de petróleo são despachados diariamente para a Europa, os Estados Unidos e a Ásia.

(Por Mohammed Ghobari)

Reuters

 Reuters internacional