Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Baobab Books ONG traz literatura infantil estrangeira à Suíça

Zeichnung

A literatura infantil e juvenil em alemão é originária principalmente de países ocidentais. Uma ONG suíça busca mais diversidade e traduz obras de outros continentes sob o lema "Criado no mundo, publicado na Suíça".

A história começa em 1975: foi quando a "Declaração de BernaLink externo", uma ONG antes chamada "Public Eye", criou um grupo de trabalho para discutir o tema da literatura infantil na Suíça. O objetivo era descobrir que imagens do "Terceiro Mundo" eram veiculadas pelos livros infantis encontrados no mercado na época.

"A situação era bem diferente", explica Sonja MathesonLink externo, chefe da editora Baobab Books. "A literatura infantil estava cheia de estereótipos sobre índios e africanos. Lembro da revista em quadrinhos do Tintin no Congo ou do Globi (um personagem de quadrinhos popular na Suíça) com os índios."

O grupo de trabalho se transformou no projeto "KolibriLink externo", que hoje publica uma lista anual de recomendações de obras que podem ser apresentadas nas escolas do país. Voluntários leem livros e escolhem aqueles que permitem às crianças e jovens descobrir a novas culturas e seus diferentes aspectos.

"Kolibri - diversidade cultural em livros infantis e juvenis".

(Baobab Books)

Tradução de obras em alemão

"O mercado do livro mudou ao longo dos anos 1980", explica Matheson. Termos como "Rei negro", índios dançantes ou ilustrações racistas foram banidas dos livros infantis.

"Mas o que ainda faltava na nossa literatura infantil e juvenil era a presença de autores da África, América Latina e Ásia", diz Matheson. Além das obras escritas diretamente em alemão, as livrarias ofereciam traduções de livros infantis escritos por autores europeus ou dos EUA. Porém outras regiões do mundo não estavam representadas. O projeto sem fins lucrativos se transformou então na editora "Baobab Books", que hoje funciona como uma ONG independente da Declaração de Berna.

"No Jardim da Avó Apo" é o livro ilustrado do autor chinês Wei Tang.

(Baobab Books)

Inicialmente a editora procurou em feiras internacionais do livro, ou através de contatos informais, obras de autores estrangeiros para traduzir para o alemão. Hoje o contato já é feito diretamente. E a editora não se limita mais a traduzir suas obras, mas também encoraja os autores a escrever novos livros. "Há países onde o mercado do livro não funciona muito bem", explica Matheson. "Portanto, é mais produtivo publicar suas obras diretamente em alemão."

Essa estratégia permite a publicação anual de quatro a cinco livros de autores da Ásia, América Latina e África. Além dessas regiões, outras minorias europeias também foram incluídas: a editora publicou recentemente um conto de um autor originário dos povos lapõesLink externo, na Noruega.

Até hoje, a Baobab Books já publicou 90 livros escritos por autores de 35 países. No total, pouco mais de 100 mil livros foram vendidos nos últimos 15 anos. Os números de vendas estabilizaram em cerca de 10 mil exemplares vendidos por ano. "É um bom resultado para uma editora que publica poucos livros por ano", diz Matheson.

Livros bilíngues facilitam a integração

A Baoba Books é também uma organização sem fins lucrativos no que diz respeito às atividades editoriais, como ressalta Matheson. Há pouco doou à várias escolas e bibliotecas o livro comemorativo "Um Novo CapítuloLink externo", onde dez autores e ilustradores contam a história da sua própria chegada em um novo país.

"Sete histórias sobre a chegada" - Um novo capítulo

( / Jürg Schönenberger)

Como muitos professores reclamavam que não tinham tempo de ler os livros recomendados pela Kolibri, a ONG desenvolveu o projeto "BuchBesuchLink externo", no qual animadores vão às escolas diretamente para ajudar nas lições.

"Oferecemos um módulo inteiro e assim apoiamos os professores", explica Matheson. No nível secundário, são os próprios jovens que vão às escolas. Depois da leitura o livro é presenteado à classe. De acordo com Matheson, o interesse das escolas é grande.

Matheson também observa uma grande demanda pelos livros bilíngueLink externos da Baobab Books. "Eles são como uma ponte à língua alemã para os migrantes na Suíça", explica.

Literatura influenciada

Quais os temas que mais têm influenciado a literatura infantil e juvenil em alemão na atualidade? Segundo Matheson seriam questões atuais como refugiados, Islã, véu, migração e identidade, em geral. "A literatura infantil é sempre um espelho da sociedade".

Qualquer leitor dos livros publicados pela Baobab nota rapidamente que elas diferem muito das obras encontradas geralmente nas livrarias suíças. A literatura seria influenciada pela cultura? É possível vender na Suíça livros que não se adequam ao gosto popular?

"Há livros que simplesmente não seriam entendidos aqui", admite Matheson. "Mesmo entre as obras infantis em francês ou alemão você encontra muitas diferenças". Também a qualidade literária é um julgamento que difere de país para país.

Mas os verdadeiros clientes do Baobab Books, ou seja, as crianças, raramente têm problemas com as diferenças. "Elas são muito boas em lidar com as experiências de outras culturas", afirma Matheson.

Editora Baobá

A Baobab BooksLink externo é uma editora especializada na promoção da diversidade cultural na literatura infantil e juvenil. Ele é uma associação sem fins lucrativos, financiada através de doações privadas e taxas pagas por associados. Dentre as organizações que a apoiam estão a ONG "Terra dos Homens" e a Direção para Desenvolvimento e Cooperação (DEZALink externo, na sigla em alemão), a Igreja Protestante de Berna, a Fundação Sulger, Swissaid e Fastenopfer.

Aqui termina o infobox


Adaptação: Alexander Thoele

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.