Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Carga subterrânea Projeto futurístico pretende transportar mercadorias por debaixo da terra

A ideia é criar um enorme sistema automático de transporte de carga subterrâneo para tirar a pressão das estradas e ferrovias. Para o governo suíço o projeto é “emocionante”, mas deveria ser financiado totalmente pelo setor privado. (SRF/swissinfo.ch)

O projeto “Cargo Sous Terrain” (carga subterrânea) pretende reduzir substancialmente o tráfego rodoviário de mercadorias na Suíça.

Um estudo de viabilidade apresentado na terça-feira (26) revelou que apenas o primeiro trajeto da rede de túneis necessária para transportar as mercadorias iria custar 3.5 bilhões de francos suíços (US$ 3.4 bilhões) para um trecho de 66,7 km de comprimento. Para o consórcio de empresas privadas que trabalha no projeto há dois anos, o sistema é realizável tecnicamente e rentável.

Os promotores dizem que a primeira parte da rede de transporte subterrâneo poderia ficar pronta em 2030. A rede seria, assim, uma "solução pragmática e tecnicamente simples", dizem.

Concretamente, isso significa cavar uma rede de túneis com seis metros de diâmetro a 50 metros abaixo da superfície. Eles teriam três vias. Os produtos seriam colocados em containers ou em paletes transportadas em veículos totalmente autônomos, movidos por indução eletromagnética, que circulariam a uma velocidade de 30 km/h durante 24 horas, ininterruptamente.

A Secretaria Federal de Transportes da Suíça encomendou um estudo para analisar o projeto em termos de benefício para a economia pública. O resultado irá determinar o futuro papel da Confederação (governo). Em princípio, o vice-diretor do órgão, Pierre-André Meyrat, disse seduzido por este esforço do setor privado para aliviar as redes existentes.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.