Catar gasta $500 milhões de dólares por semana na prepraração para Copa-2022


 AFP

(Arquivos) O estádio Khalifa sendo reformado em Doha, no dia 13 de novembro de 2014

(afp_tickers)

O Catar, sede da Copa do Mundo de 2022, está gastando 500 milhões de dólares por semana na preparação do país para sediar o evento, explicou nesta terça-feira o ministro das Finanças do emirado.

Ali Shareek Al-Emadi afirmou que estes gastos faraônicos continuarão de forma ininterrupta até 2021.

"Gastamos 500 milhões de dólares por semana nos principais projetos e isso vai continuar assim durante os próximos três ou quatro anos, no intuito de conseguir nosso objetivo, que é estarmos prontos para 2022", explicou o ministro aos jornalistas, em coletiva de imprensa.

No total, o emirado, potência na produção de petróleo, desembolsará 20 bilhões de euros para organizar a Copa do Mundo.

"Cerca de 90% dos contratos estão a pleno vapor, e isso não envolve só os estádios. Também vamos construir autoestradas, vias férreas, aeroportos... As verdadeiras infraestruturas, hospitais e todo o resto", garantiu.

Questionado sobre o fato da Copa do Mundo do Catar possivelmente se tornar a mais cara da história, o ministro argumentou que "se levarmos em consideração unicamente a construção de estádios, não será o Mundial mais caro da história".

Al-Emadi garantiu que este investimento não será afetado por um possível déficit orçamentário, apesar dos recentes problemas econômicos do país, devido à queda do preço do barril de petróleo no mercado.

O Catar sofreu no ano passado seu primeiro déficit orçamentário em 15 anos, no valor de 11,2 bilhões de euros.

AFP

 AFP