AFP

(Arquivo) O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes

(afp_tickers)

Os prefeitos de Paris, Rio de Janeiro e Cidade do México propuseram nesta quinta-feira aos países que ratificaram o acordo de Paris contra as mudanças climáticas que seja confiado mais poder financeiro a suas cidades para ajudá-las a honrar seus compromissos climáticos.

"Pelos padrões da diplomacia internacional, a ratificação do Acordo de Paris tem sido rápida", comemoraram a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e da Cidade do México, Miguel Angel Mancera, em uma coluna publicada pelos jornais Libération (França), O Globo (Brasil) e El Universal (México).

"Cada país deve agora colocar em andamento planos nacionais de emissões tão ambiciosos como os aspirados pelo Acordo de Paris. Quase nenhum fez isso ainda", advertem os prefeitos, ao convocar os "presidentes e primeiros-ministros de todos os países a dar um poder maior as suas cidades".

"Durante o ano de 2016, as cidades seguiram propondo ambiciosas medidas climáticas concretas", afirmam, citando, em particular, a recente decisão de fechar ao tráfego de veículos a margem direita do rio parisiense Sena, as linhas do VLT carioca construídas para os Jogos Olímpicos e a frota de ônibus elétricos lançada no México.

"Os governos nacionais devem agora ajudar os prefeitos e as cidades, confiando a eles a autoridade sobre as finanças para o desenvolvimento de infraestruturas sustentáveis", pedem.

"Paralelamente, as instituições financeiras internacionais devem conceder às cidades um acesso direto aos fundos verdes e aos mecanismos de empréstimo para financiar seus planos climáticos", acrescentam.

afp_tickers

 AFP