Combates no leste de Damasco após ofensiva surpresa dos rebeldes


 AFP

Fumaça é vista no distrito rebelde de Jobar, nos arredores de Damasco, em 19 de março de 2017

(afp_tickers)

Violentos combates eram registrados neste domingo no leste de Damasco após um ataque surpresa de extremistas e rebeldes, que tentaram avançar rumo ao centro da capital.

Os combatentes, liderados pelos extremistas da Frente al-Sham, antigo braço sírio da Al-Qaeda, atacaram as forças do governo a partir da posição rebelde mais próxima ao centro da cidade, no bairro de Khobar, indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Segundo o OSDH, trata-se de uma ofensiva relâmpago, destinada a contrabalançar a ofensiva das forças do regime em três bairros do norte da capital.

Estes combates na capital síria ocorrem dias antes de uma nova rodada de negociações para a Síria prevista a partir de quarta-feira em Genebra, sob os auspícios da ONU, na presença de representantes do regime de Bashar al-Assad e da oposição.

Todos os esforços diplomáticos, apoiados pela ONU ou não, fracassaram na tentativa de encontrar uma solução para este conflito, que atinge a Síria há mais de seis anos e que já deixou mais de 320.000 mortos e milhares de deslocados e refugiados, provocando uma grave crise humanitária.

Em dezembro foi negociado um cessar-fogo com a ajuda da Rússia, aliada do regime, e da Turquia, que apoia os grupos rebeldes, mas os combates no país prosseguiram.

Segundo o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman, os rebeldes e os extremistas atacaram neste domingo no bairro de Khobar as posições do regime com "dois carros-bomba e vários suicidas".

"Não se trata de uma batalha, os rebeldes tentam ganhar terreno" por parte dos insurgentes, afirmou Abdel Rahman, ressaltando que os rebeldes tomaram edifícios na praça dos Omeyas, de onde lançaram foguetes rumo a vários setores da capital.

O exército sírio respondeu com cerca de uma dúzia de ataques aéreos, de acordo com o diretor do OSDH.

- 'Densa fumaça' -

Por sua vez, a televisão estatal indicou que o exército estava "frustrando um ataque terrorista" graças a disparos de artilharia e ordenou que os moradores permanecessem em suas casas.

A televisão divulgou imagens da praça dos Omeyas, normalmente muito movimentada, desta vez completamente vazia com sons distantes de explosões.

Segundo um correspondente da AFP em Damasco, o exército sírio bloqueou todos os acessos a esta praça.

Várias escolas anunciaram que permanecerão fechadas até terça-feira.

O controle do bairro de Khobar está dividido entre rebeldes e extremistas, por um lado, e tropas governamentais, pelo outro.

"É uma importante linha de frente" devido a sua proximidade com o centro de Damasco, explicou Abdel Rahman, que não pôde fornecer um balanço imediato dos confrontos em Kgobar.

Segundo o OSDH, o ataque de Khobar é, sobretudo, uma tentativa de aliviar os rebeldes que suportam os ataques do exército sírio nos bairros de Barze, Qabun e Tishreen, desviando a atenção das forças do regime neste front do norte da capital.

Nas últimas 24 horas, os violentos combates nestes três bairros deixaram ao menos 20 mortos, segundo o OSDH.

AFP

 AFP