Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Congresso da 5a. Suíça


Suíços do estrangeiro condenam fechamento de embaixada no Paraguai




 Outras línguas: 2  Línguas: 2

Reunidos na sexta-feira em Genebra, membros do Conselho dos Suíços do Estrangeiro (OSE) elegem um novo presidente e adotam resolução relativa ao voto eletrônico. O grêmio criticou também o fechamento de várias representações diplomáticas da Suíça no exterior, dentre elas no Paraguai, e a redução da tiragem da Revista Suíça.

Delegados do Conselho dos Suíços do Estrangeiro (CSE) reunidos em Genebra na sexta-feira (14.08).  (Philipp Zinniker)

Delegados do Conselho dos Suíços do Estrangeiro (CSE) reunidos em Genebra na sexta-feira (14.08). 

(Philipp Zinniker)

"O Conselho dos Suíços do Estrangeiro (CSE, órgão deliberativo OSE) lamenta profundamente que o governo federal tenha decidido limitar a quatro cantões (dos 13 previstos) a oferta do e-voting para os suíços do estrangeiro", escreveu o órgão. Nove cantões, cujo sistemas apresentavam falhas de segurança, não receberam a autorização necessária para utilizar o sistema nas eleições legislativas marcadas para o outono. 

Há vários anos a OSE luta pela generalização do voto eletrônico. Os planos do governo federal determinavam a utilização do sistema por pelo menos metade dos 142 mil suíços do estrangeiro inscritos em um registro eleitoral nas representações diplomáticas nas eleições federais de 18 de outubro. Após a decisão, apenas um quarto destes poderão enviar suas cédulas através da internet. 

"Compreendo a decepção, mas podemos nos enganar em relação aos responsáveis. Não adianta culpar o governo federal", explicou Anja Wyden Guelpa, chanceler do cantão de Genebra, cujo sistema foi validado pelas autoridades federais. Barbara Perriard, responsável pelo setor de direitos políticos na Chancelaria federal, confirmou os problemas técnicos. "Descobrimos uma falha na proteção do sigilo eleitoral. Essa proteção, que faz parte dos direitos democráticos elementares, não é negociável." 

O CSE pretende manter a pressão sobre as autoridades: a decisão do governo federal não deve prejudicar o sistema do e-voting no seu conjunto, lembrando que em Zurique, Genebra e Neuchâtel, esses modelos funcionam sem problemas há dez anos, afirma a resolução adotada pela unanimidade dos presentes. 

Fechamento de representações diplomáticas

O conselho adotou também por grande maioria uma resolução para denunciar o fechamento de diversas representações suíças no exterior.

Desde 1990, mais de 60 consulados e embaixadas suíças foram fechadas, criticaram os delegados. Uma erosão constante que contradiz a nova Lei relativa aos suíços do estrangeiro, cujo principal objetivo é reforçar os laços entre a comunidade de expatriados e a Suíça. 

Quanto ao fechamento da embaixada no Paraguai, anunciada na quarta-feira (12 de agosto) pelo governo federal, "ela contradiz a posição das comissões de política exterior do Conselho Nacional (Câmara dos Deputados) e Conselho dos Estados (Senado), que se opuseram a essa decisão", criticou Roland Büchel, membro do CSE e deputado-federal do Partido do Povo Suíço (UDC, na sigla em francês).

Presente ao encontro, o diretor da Direção consular do Ministério suiço das Relações Exteriores (DFAE), Jürg Burri, informou aos delegados detalhes do programa de corte de despesas do governo federal, cujos efeitos serão sentidos nos próximos quatro anos. Dentre as medidas mais visíveis para os suíços do estrangeiro: o fechamento da embaixada do Paraguai até o final do ano e a avaliação de viabilidade dos consulados na Letônia e no Kuwait.

A Revista Suíça, publicação especializada destinada aos suíços do estrangeiro, também sofrera cortes: sua publicação passa a ser de quatro edições ao ano, contra seis atualmente. Porem as seis edições eletrônicas serão mantidas em formato eletrônico. 

100 anos da OSE

A Organização dos Suíços do Estrangeiro festeja em 2016 cem anos de existência. As comemorações oficiais ocorrem entre 15 e 17 de abril do ano que vem em Brunnen, no cantão de Schwyz.

Em 2016, o congresso dos suíços do estrangeiro está previsto para ser realizado entre 5 e 8 de agosto em Berna, a capital suíça. A praça do Palácio Federal, onde estão localizados o Parlamento e diversos ministérios, terá uma programação festiva com diversos eventos.


Adaptação: Alexander Thoele

×