Reuters internacional

Ex-primeiro-ministro de Portugal António Guterres. 07/12/2015 REUTERS/Denis Balibouse/File photo

(reuters_tickers)

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu nesta quinta-feira, por unanimidade, o ex-primeiro-ministro de Portugal António Guterres como novo secretário-geral, recomendando que a Assembleia-Geral conceda cinco anos de mandato a ele a partir de 1° de janeiro de 2017.

A Assembleia-Geral deve se reunir na próxima semana para aprovar a nomeação de Guterres, de 67 anos, que irá substituir o sul-coreano Ban Ki-moon, de 72 anos. Ban deixará o posto no final de 2016, após dois mandatos como secretário-geral.

"Tenho duas palavras para descrever o que estou sentindo agora: gratidão e humildade", disse Guterres em um comunicado curto em Lisboa, que ele repetiu em várias línguas.

"Humildade (é o que sinto) em relação aos desafios enormes à nossa frente, à complexidade terrível do mundo moderno. Mas também é humildade o que se exige para servir aos mais vulneráveis, às vítimas de conflitos, do terrorismo, das violações de direitos humanos, da pobreza e das injustiças do mundo", afirmou.

Ban, falando durante uma visita a Roma, descreveu Guterres como uma "super escolha" como sucessor.

"Tenho certeza de que ele irá conduzir a tocha da amplitude total dos desafios centrais, do fortalecimento das operações de paz à conquista do desenvolvimento sustentável, exaltando os direitos humanos e suavizando o sofrimento humanitário", disse Ban aos repórteres.

Guterres foi primeiro-ministro de Portugal de 1995 a 2002 e serviu como alto comissário da ONU para os refugiados de 2005 a 2015.

"Ele tem grandes credenciais nas Nações Unidas... e ser alto comissário para os refugiados significa viajar o mundo e ver alguns dos conflitos mais horrendos com que temos de lidar, e também, claro, ele é um político de alto nível", opinou o embaixador da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, presidente do conselho durante o mês de outubro.

O conselho se reuniu a portas fechadas nesta quinta-feira para adotar uma resolução de dois parágrafos recomendando à Assembleia-Geral que Guterres seja nomeado.

(Reportagem adicional de Sergio Gonçalves e Andrei Khalip em Lisboa)

reuters_tickers

 Reuters internacional