Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - A Coreia do Norte rejeitou nesta segunda-feira as acusações de especialistas das Nações Unidas de que estaria escapando das sanções internacionais com uma rede sofisticada de empresas no exterior, descrevendo o relatório ao Conselho de Segurança da ONU como um “documento fraudulento”.

A Coreia do Norte está sob um pesado regime de sanções das Nações Unidas e embargo de armas, elaborados para impedir o desenvolvimento dos seus proibidos programas nuclear e de mísseis. Um grupo de especialistas monitora para o Conselho de Segurança as violações dessas sanções.

O mais recente relatório anual dos especialistas, visto pela Reuters no mês passado, diz que a Coreia do Norte “está desrespeitando as sanções por intermédio de comércio de bens proibidos, com técnicas de evasão que aumentam em escala, abrangência e sofisticação”.

A missão norte-coreana nas Nações Unidas afirmou em comunicado nesta segunda-feira que as sanções estão “negando totalmente o direito de vida e desenvolvimento do nosso povo e destruindo a civilização moderna, além de fazer a nossa sociedade voltar para território sombrio medieval”.

Pyongyang renovou o seu pedido para que as Nações Unidas reúnam um fórum internacional de advogados em Nova York ou Genebra para esclarecer a base legal para as sanções.

O país mais uma vez ameaçou “medidas de autodefesa mais fortes” e disse que os Estados Unidos e o Conselho de Segurança seriam culpados por qualquer aumento das tensões na península coreana ou na região.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters