Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Corrupção Empresas se saem bem, setor público preocupa

Pessoa segura uma nota de 20 francos

A seção suíça da Transparência Internacional diz que o país deve incrementar seus esforços contra a corrupção.

(Keystone)

Uma pesquisa global de negócios descobriu que os casos de corrupção são menos comuns entre as empresas na Suíça em relação a outros países. Mas, no que diz respeito ao setor público, um órgão de fiscalização se preocupa com o fato de as autoridades federais suíças não estarem fazendo o suficiente para manter as instituições do governo acima de qualquer suspeita.

A empresa de contabilidade e consultoria Ernst & Young (EY) realizou uma pesquisa global sobre empresas envolvidas em casos de fraude e corrupção. Constatou-se que apenas 6% das empresas suíças pesquisadas registraram esses casos nos últimos dois anos. Os países com taxas mais elevadas de corrupção incluem a Ucrânia (36%), Quénia (26%), Bélgica e Rússia (ambos 20%). As empresas suíças relataram menos casos do que a Dinamarca e a Alemanha (18%). A média global é de 11%.

O estudo da EY também perguntou aos gerentes o que eles achavam da situação em relação ao suborno e à corrupção em seu país. Na Suíça, apenas 2% dos entrevistados acreditam que essas práticas são generalizadas. Esse número contrasta fortemente com as descobertas para o Brasil (96%), a Colômbia (94%) ou a Nigéria (90%), onde os gerentes veem maciçamente métodos corruptos como a ordem do dia.

Enquanto isso, a filial suíça da Transparência Internacional enviou uma carta às principais autoridades de supervisão financeira da Suíça, levantando preocupações sobre a eficácia do órgão anticorrupção do país. A carta aberta, publicada na segunda-feira, diz que a comissão de finanças do parlamento suíço ignora as graves deficiências do órgão anticorrupção do país e se opõe a reformas urgentes.

A Transparência Internacional também questionou a decisão de prorrogar o mandato do órgão anticorrupção da administração federal sem fazer reformas ou consultar o público. A carta observou que casos de corrupção ocorrem regularmente em instituições suíças, incluindo o governo federal, apontando para o recente escândalo de subsídios ilegais da PostBus e irregularidades em aquisições.

"Cada caso é importante porque, em todos eles, o dinheiro do contribuinte confiado à Confederação é mal utilizado", dizia a carta. "Os casos que vieram à luz são apenas a ponta do iceberg."

Não houve resposta imediata da comissão de finanças do parlamento.


swissinfo.ch/ets

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.