O custo de vida na Suíça encontra-se entre os mais elevados do mundo, com Zurique e Genebra na posição das cidades mais caras segundo uma pesquisa recente.

A decisão do Banco Central Suíço, em 15 de janeiro de 2015, de abandonar a taxa de câmbio mínima de 1,20 franco por um euro fez com que o franco suíço valorizasse e os bens e serviços no país ficassem ainda mais caros em comparação com os países da zona do euro.

O banco suíço UBS publica a cada três anos um estudo sobre Preços e Salários de três em três anos. No relatório publicado em setembro de 2015, o banco indicou Zurique e Genebra como cidades mais caras do mundo, na frente de Nova Iorque.

Estima-se que um família de três pessoas, residente em Zurique, gasta no mínimo US$ 3.600 (CHF3.569 em fevereiro de 2016) por mês. O cálculo foi feito com base em uma cesta de 122 bens e serviços, sem incluir inclui aluguel. Genebra vem em segundo lugar, com US$3.500 por mês, seguido por Nova York com US$3.340. O aluguel mensal médio de um apartamento de dois quartos em Zurique é de US$ 2.390.

A revista The Economist usa uma curiosa forma comparativa para calcular o poder aquisitivo em diferentes países. Por exemplo, o preço de um Big Mac. Segundo o Indice Big Mac em janeiro de 2016, um suíço pagará US$ 6,44 pelo mesmo hambúrguer, enquanto que nos Estados Unidos ele custaria apenas US$ 4,93.

O Departamento Federal de Estatísticas mantém uma página na internet sobre os preços na Suíça.

swissinfo.ch