O custo de vida na Suíça encontra-se entre os mais elevados do mundo, com as cidades de Zurique e Genebra na segunda e terceira posição das mais caras, respectivamente.

O banco suíço UBS publica a cada três anos um estudo sobre Preços e Salários de três em três anos, com algumas atualizações entre eles. Oslo (Noruega) encabeça a lista dos locais mais caros para se viver.

O relatório de 2009 constatou que um operário em Zurique precisará trabalhar nove horas para comprar um iPod Nano, tanto quanto um trabalhador novaiorquino. O relatório também informa que os moradores de Genebra e Zurique pagam em média 20 por cento mais sobre produtos, serviços e aluguéis do que habitantes de cidades da Europa Ocidental. Comida é especialmente cara com preços 45% mais altos que a média das cidades da Europa Ocidental.

A revista The Economist usa uma curiosa forma comparativa para calcular o poder aquisitivo em diferentes países. Por exemplo, o preço de um Big Mac. Segundo o "Indice Big Mac", um suíço pagará pelo mesmo hambúrguer, que nos Estados Unidos custa US$3,71, o equivalente a 6,78 na Suíça e 5,26 no Brasil.

O Departamento Federal de Estatísticas publica o relatório “Panorama”, que vigia o índice de preços ao consumidor. Ele mostra que carne, habitação e serviços públicos, comida e pescados, são muito mais caros que a média dos países da União Européia.  Entretanto, telecomunicações, equipamentos de transporte pessoal e bebidas alcoólicas são bem mais baratos que a média da União Europeia.

swissinfo.ch