Reuters internacional

NOVA DÉLHI (Reuters) - A irritação cresceu em meio aos indianos neste sábado, uma vez que bancos encontravam dificuldades para liberar dinheiro após o governo decidir retirar notas altas de circulação em um movimento repentino, com a meta de revelar bilhões de dólares em recursos não declarados.

Centenas de milhares de pessoas aguardavam do lado de fora de bancos pelo terceiro dia por longas horas, tentando substituir notas de 500 e mil rúpias que foram abolidas mais cedo nesta semana.

Essas notas representam mais de 80 por cento da moeda em circulação, deixando milhões de pessoas sem dinheiro e ameaçando suspender grande parte da economia movida por transações com moeda à vista.

"Há caos em toda parte", disse o ministro-chefe de Délhi, Arvind Kejriwal, rival do primeiro-ministro do país, Narendra Modi. Ele disse que a medida de Modi virou de cabeça para baixo as vidas de pessoas mais pobres e trabalhadores, enquanto os ricos --cuja riqueza ele tinha como alvo-- encontraram brechas para driblar as novas regras.

Pessoas discutiam e golpeavam as portas de vidro de uma filial do Standard Chartered no sul de Délhi após os guardas de segurança bloquearem a entrada, afirmando que já havia pessoas demais no interior do banco.

Outras se voltaram contra Modi, criticando sua atual visita ao Japão, enquanto indianos do interior do país sofrem.

"Ele está viajando de trem bala no Japão e aqui você vê idosos batendo em portas de bancos para terem dinheiro", afirmou Prabhat Kumar, estudante universitário que disse ter passado seis horas na fila.

"Ele cometeu um erro terrível".

Mas Modi disse que prosseguirá com a guerra contra corrupção e evasão fiscal mesmo que isso signifique examinar registros de décadas atrás.

"Se o dinheiro não declarado for encontrado durante o atual movimento de limpeza, as contas dos que praticaram evasão fiscal desde a independência do país, em 1947, serão checadas. Se necessário, contratarei pessoas para essa tarefa", disse Modi em discurso para a comunidade indiana em Kobe.

Ele disse reconhecer que as pessoas enfrentam dificuldades com a transição para a nova série de notas bancárias, mas afirmou estar confiante de que elas apoiarão a decisão como parte da guerra contra corrupção e com o objetivo de livrar a Índia da pobreza.

Quase metade dos 202 mil caixas eletrônicos da Índia foram desligados na sexta-feira e os que estavam operando rapidamente ficaram sem as novas notas em meio à grande demanda.

Negociantes do mercado de vegetais de Délhi disseram estar considerando fechar o mercado, uma vez que o dinheiro estava acabando e os bancos distribuíam uma quantia limitada.

Pessoas em Mumbai disseram que mercados estavam cobrando dez vezes o preço do sal em troca de aceitar notas antigas.

(Por Sanjeev Miglani e Nidhi Verma)

reuters_tickers

 Reuters internacional