Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Dia Mundial da Obesidade Crianças suíças apresentam os menores índices de obesidade

O número de crianças obesas e com excesso de peso está crescendo rapidamente no mundo todo, mas na Suíça essa proporção ainda é menor.

três garotos obesos na fila do refeitório

Hora do almoço num acampamento suíço para crianças com sobrepeso 

(Keystone)

O número de crianças e adolescentes obesos entre 5 e 19 anos aumentou dez vezes nas últimas quatro décadas, informou a Organização Mundial de Saúde (OMS) hoje, por ocasião do Dia Mundial da Obesidade.

"Se as tendências atuais se mantiverem, até 2022 haverá mais crianças obesas no mundo do que crianças de peso normal ou abaixo do normal", afirma um estudo conduzido pela OMS e o Imperial College de Londres, e publicado na revista médica The Lancet.

Em 1975, menos de 1% das crianças e adolescentes do mundo eram obesos. A partir de 2016, essa taxa subiu para 6% entre as meninas e quase 8% entre os meninos, em um total de 124 milhões de crianças. Estimativas de 2016 apontam que, além das crianças, mais de 213 milhões de adultos encontram-se acima do peso.

Na Suíça, 7% dos meninos e 4,6% das meninas são obesos. Na Alemanha, a taxa é de 11% e 7%, respectivamente, e nos EUA, impressionantes 23,3% (meninos) e 19,5% (meninas). O número de crianças com graves problemas de sobrepeso está aumentando nos países de baixa e média renda, e estabilizou-se em países de maior renda, diz Majid Ezzati, da Escola Imperial de Saúde Pública (Reino Unido), e chefe da equipe de pesquisa.

"Essas tendências preocupantes refletem o impacto do marketing e das políticas de alimentação em todo o mundo, onde os alimentos mais nutritivos e saudáveis são caros ​​demais para famílias e comunidades pobres. Essa tendência prevê uma geração de crianças e adolescentes crescendo obesos e com maior risco de doenças como diabetes. Precisamos de maneiras de tornar os alimentos saudáveis ​​e nutritivos mais acessíveis em casa e na escola, especialmente em famílias e comunidades pobres, além de regulamentos e impostos para proteger as crianças de alimentos pouco saudáveis ​​", disse Ezzati em seu comunicado.

No outro extremo do espectro, 192 milhões de crianças e adolescentes do mundo encontram-se tanto moderada como gravemente abaixo do peso.

Estilo de vida suíço é mais saudável? 

O que tem de especial o estilo de vida suíço a ponto de evitar que as crianças acumulem mais quilos do que precisam?

"As crianças suíças se beneficiam de alimentos saudáveis ​​nas escolas e muitas oportunidades para atividade física; os ambientes urbanos são adequados para caminhadas seguras, ciclismo, etc., e os campos de recreação escolares ficam abertos até a noite ", disse o chefe de comunicação da OMS, Paul Garwood, à swissinfo.ch. "E, como um todo, a população é bem educada e consciente dos problemas de saúde", acrescentou ele, observando que a Suíça possui um "bom sistema de referência para crianças que precisam de controle de peso".

Na verdade, é comum que as crianças na Suíça caminhem para a escola, e há grupos de apoio para crianças que precisam perder peso. No mês passado, o ministério do Interior e a indústria alimentar suíça concordaram com medidas para cortar o açúcar em iogurtes e cereais de café da manhã. Cerca de 19% de crianças entre 5 e 19 anos na Suíça estão acima do peso; entre os alunos do jardim de infância, a taxa é de 16,5%.

Quanto aos adultos na Suíça, 41% estão com sobrepeso e 10,3% são obesos - o que posiciona a Suíça na média dos demais países da OCDE. No entanto, o índice de sobrepeso entre os homens é o dobro que o das mulheres, segundo o Departamento Federal de Estatística.

Teste de fôlego para queima de gordura

Enquanto isso, pesquisadores do instituto federal suíço de tecnologia ETH Zurich (ETH-Z) descobriram uma nova e mais rápida maneira de saber se as pessoas estão realmente queimando gordura quando se exercitam.

Os métodos atuais requerem exames de sangue ou de urina, mas graças a um sensor, a pessoa simplesmente precisa soprar em um tubo. Os cientistas da ETH-Z e do Hospital Universitário de Zurique apresentaram esse novo método na terça-feira, dia 10 de outubro.

Veja o equipamento no vídeo produzido pela ETH-Z (em inglês), abaixo:

breath test

girl on stationary bike blowing into tube



Adaptação: Eduardo Simantob

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×