Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Dia Mundial dos Refugiados Onde vivem os refugiados na Suíça

O número de refugiados bateu novo recorde, tendo aumentado em 2,9 milhões em 2017 em relação ao ano anterior. Foram quase 69 milhões de deslocados, sendo que mais da metade (52%) são menores de idade. O fotógrafo suíço Yvain Genevay mostra como vivem alguns deles na Suíça.

Um solicitante de asilo na Suíça precisa esperar que as autoridades avaliem o seu pedido. Enquanto espera, recebe um abrigo temporário para os primeiros três meses.

De acordo com os números publicados pela Secretaria de Estado para Migração, até o final de 2017 foram 18.088 pedidos de asilo e 6.360 refugiados aceitos no país. Cada refugiado que chega na Suíça recebe um visto "N". Ele mostra que a pessoa fez um pedido de asilo e que espera o resultado.

Primeira impressão

Nas fotos desta galeria, Genevay faz um comentário político sobre a impressão que os requerentes de asilo da Suíça poderiam ter ao serem confrontados com sua moradia temporária pela primeira vez. Eles podem tanto ser abrigados em bunkers situados em regiões suburbanas ou até mesmo em hotéis, localizados em paisagens montanhosas.

Genevay escreve em seu site que a escolha do alojamento para requerentes de asilo é "o resultado de ajustes políticos e compromissos". Sua "forma" reflete a "atitude das autoridades locais em relação à questão do asilo".

Diferenças de termos

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCRLink externo, na sigla em inglês) divide as pessoas deslocadas nos seguintes grupos:

Refugiado

Uma pessoa que tenha "um receio fundado de perseguição por causa da raça, religião, nacionalidade, participação em um grupo social específico ou opinião política”. Muitos refugiados estão no exílio para escapar dos efeitos de desastres naturais ou provocados pelo homem.

Requerente de asilo

Os requerentes de asilo alegam fugiram dos seus países pelas mesmas razões que os refugiados, mas seu estatuto de refugiado ainda precisa ser avaliado e reconhecido pelo país para o qual fugiram.

Pessoa deslocada internamente (IDP)

Uma pessoa que não cruzou uma fronteira internacional, mas mudou-se para uma região diferente dentro de seu próprio país daquela que eles chamam de lar.

Apátrida

Um apátrida não possui nacionalidade reconhecida ou não pertence a nenhum país. Apátrida é frequentemente causada por discriminação contra certos grupos. Sua falta de identificação - um certificado de cidadania - pode excluí-los do acesso a serviços governamentais importantes, incluindo assistência médica, educação ou emprego.

Aqui termina o infobox