Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Análise das votações


Suíços do estrangeiro foram mais favoráveis ao aumento das pensões




 Outras línguas: 4  Línguas: 4

Os suíços do estrangeiro rejeitaram por margem menor a iniciativa dos sindicados pela revalorização as pensões dos aposentados do que seus concidadãos do interior do país. Eles também foram mais favoráveis à iniciativa dos Verdes por uma economia sustentável. Em contrapartida, nenhuma diferença notável foi constatada quanto à nova lei federal sobre o servido de inteligência.

A Iniciativa AVSplus teve proporcionalmente mais votos entre os suíços do estrangeiro. (Keystone)

A Iniciativa AVSplus teve proporcionalmente mais votos entre os suíços do estrangeiro.

(Keystone)

Numerosos estudos demonstraram que os suíços do estrangeiro votam mais à esquerda do que os concidadãos do país. A análise dos resultados da votação de 25 de setembro de 2016 nos 12 cantões que contabilizam de maneira separada os votos dos suíços do estrangeiro confirma mais uma vez em grande parte essa tendência.

Mesmo se rejeitada por uma maioria dos suíços do estrangeiro em 11 dos 12 cantões em que os expatriados votaram, a Iniciativa “AVSplus: por uma AVS forte”, que exigia um alta de 10% para todo os aposentados pagas pelo Estado, teve proporcionalmente mais votos fora das fronteiras nacionais.

Com duas exceções: no Valais, os expatriados (38,9% de “sim”) foram mais conservadores do que os cidadãos do cantão (41%). Também foi o caso do cantão de Vaud, onde os cidadãos do interior do país aceitaram a iniciativa da esquerda e dos sindicatos, mas os cidadãos do estrangeiro a rejeitaram por curta maioria. Em Basileia, foi a igualdade perfeita (49,1%)

Outro fato marcante: a mobilização dos suíços do estrangeiro para esse escrutínio, que oscila entre 25 e 35% foi mais fraca do que nas votações mais emocionais de 28 de fevereiro de 2016 sobre a expulsão dos estrangeiros criminosos e a construção do segundo túnel do Gotardo (36 e 37%). Portanto, era um tema, desta vez, de interesse direto de uma grande maioria dentre eles: mais de 140.000 suíços do estrangeiro se beneficiam de uma pensão AVS.. 

Os suíços do estrangeiro são mais sensíveis à ecologia do que seus compatriotas do interior? É o que parece demonstrar a análise da segunda iniciativa submetida aos eleitores domingo. O texto dos Verdes por uma economia sustentável de fato teve mais votos proporcionalmente dos expatriados na totalidade dos 12 cantões em que votaram.

A diferença é por vezes importante: ela ultrapassa de 10% aos votos do interior em 8 dos 12 cantões. Os expatriados dos cantões de Friburgo, Basileia, Appenzell, Vaud e Genebra aprovaram a iniciativa, enquanto no plano interior ela só foi aprovada em Genebra.

O voto da diáspora não foi diferente dos residentes na Suíça sobre o terceiro tema submetido aos eleitores, ou seja, a nova lei federal sobre os serviços de informação.

Esse texto, que dividia a esquerda, foi plebiscitado por mais de 60% dos expatriados (média nacional de 65,5%). Em vários cantões como Basileia, Zurique, Friburgo e Valais, os suíços do estrangeiro foram ainda mais favoráveis a dar mais meios ao serviço secreto do que os suíços domiciliados na Suíça.


Adaptação: Claudinê Gpnçalves

×